Jogo alucinante nas Antas

12 de Janeiro de 2002. Na 1ª jornada da 2ª volta do Campeonato 2001/02 o encontro nas Antas entre FC Porto e Sporting foi de “cortar a respiração”. Os leões (orientados por Laszlo Bölöni) tinham 4 pontos de avanço sobre os portistas mas entraram no jogo com uma postura muito personalizada à procura da vitória. A equipa: Tiago; Quiroga, Beto, André Cruz e Rui Jorge; Paulo Bento; Quaresma (Rui Bento), Hugo Viana (Diogo) e Pedro Barbosa; João Pinto (César Prates); Jardel.

O Sporting começou muito bem, com um futebol corrido, de 1º toque, que atordoou um pouco a equipa local. Apesar de tudo foram os portistas os primeiros a marcar, por Jorge Andrade, de penalty, logo aos 6 minutos, a castigar uma falta inexistente (o árbitro Martins dos Santos começava a sua paupérrima exibição) de Tiago sobre Pena.

O Sporting não acusou o toque, continuou a praticar o melhor futebol, e logo aos 10 minutos teve um excelente ensejo para empatar a partida após falta na área sobre João Pinto, mas Mário Jardel (muito mal recebido no seu antigo Estádio) permitiu a defesa a Vítor Baía, falhando pela 1ª vez (e única para o Campeonato) um penalty (tinha falhado um em Halmstad para a Taça UEFA) ao serviço dos leões.

Com uma personalidade de “ferro” o Sporting não vacilou, acabando por chegar ao empate aos 33 minutos após uma daquelas jogadas “à Pedro Barbosa”, sobre a esquerda, ganhando espaço para “dentro” e rematando de pé direito, “cortado”, sem hipóteses para Baía.

O Sporting continuou a pressionar e novamente João Pinto foi carregado na área, 2 minutos depois, por Ricardo Carvalho (lance muito discutível). Desta vez Jardel rematou forte e colocado fazendo o 1-2, mais de acordo com o nível futebolístico patenteado pelas duas equipas até aí. O intervalo chegou com a vantagem mínima leonina, escassa para a superioridade patenteada.

Na 2ª parte os verde e brancos voltaram e entrar bem e aos 62 minutos, na sequência dum livre batido por João Pinto, Beto cabeceou ao poste com Baía completamente batido. O jogo poderia ter-se decidido nesse lance mas assim não aconteceu, e logo a seguir Paulo Bento foi expulso por “palavras”.

O FC Porto tentou então pressionar e aos 73 minutos conseguiu chegar ao empate, por Deco, que aproveitou bem um ressalto de bola. Depois de perdoar o 2º amarelo a Jorge Andrade (que empurrou e atirou ostensivamente para o chão Quaresma), Martins dos Santos expulsou Pedro Barbosa aos 75 minutos. O FC Porto tentou manter o pressing mas a equipa leonina, muito bem arrumada, defendia-se da melhor forma, não permitindo oportunidades de golo aos locais.

A 6 minutos do fim os leões ficaram com 8 (!) jogadores em campo porque Jardel pontapeou a bola para longe quando ela já estava fora… Martins dos Santos deu 7 minutos de descontos, os locais porfiaram mas o Sporting não cedeu, mostrando uma “coluna vertebral” de aço e arrancando um empate que manteve a distância de 4 pontos entre as equipas.

Pela atitude demonstrada, pela superioridade em igualdade de circunstâncias e o espírito de sofrimento na dificuldade, a equipa do Sporting deu um passo de gigante no caminho para o título com este resultado (neste caso o empate foi mesmo positivo) no Porto.

Rui Jorge regressou a uma casa bem conhecida e onde se iniciou para o futebol: “Depois dos primeiros 5 minutos esquecemo-nos de tudo, não ouvimos praticamente nada e tentámos simplesmente dar o nosso melhor. Logo no início da 2ª parte vi que as coisas iam ser muito difíceis pois não nos deixavam sair do nosso meio campo, era sempre marcada uma falta contra nós. Ao sentirem determinadas injustiças não é fácil aos jogadores manterem o controlo. Para quem está lá dentro e a sofrer custa muito, sai-nos do corpo, e não é fácil…” Elucidativo.

vídeo

Post to Twitter

Comments (3)

 

  1. Henrique Salgado says:

    Já agora, até poderemos dizer: primeiro e único!!! Abraço.

  2. sporting canal says:

    Muito obrigado. De facto foi o 1º falhado mas para o Campeonato:)

  3. Henrique Salgado says:

    Caríssimo; poderei dar uma achega na parte do 1º penalty falhad pelo M.Jardel, ao n/ serviço??
    É que em Setembro (Outubro?), na 1ª mão da 2ª eliminatória da T.Uefa, no campo dos suecos que agora não me lembro o nome (eliminaram os lamps em 2000/2001 e a nós em 2005/2006), o brasileiro falhou 1 GP no fim da 1ª parte (ganhámos esse prélio, por 1-0, com golo do M.Niculae, de cabeça)…
    …depois do jogo nas Antas, só voltaria a não marcar uma vez, da marca dos 11 metros; na semi final da Taça de Portugal, em Alvalade, ante o Marítimo. Abraço e SL.

Deixe o seu comentário