Rui Bento – Um “relógio” tático

Rui Fernando Silva Calapez Bento nasceu a 14 de Janeiro de 1972 em Silves. Foi no clube da sua terra que se iniciou na prática do Futebol, passando ainda como juvenil para o Benfica. Depois de ganhar o Mundial de sub-20 por Portugal (1991) chegou aos seniores dos encarnados onde permaneceu apenas uma temporada transitando para o Boavista.

Considerado um líbero de grande categoria, foi sendo pouco a pouco mais utilizado como médio defensivo e aí exponenciou todas as suas capacidades. Pelos boavisteiros consolidou o seu potencial e foi como campeão (no único título dos axadrezados) que chegou ao Sporting no Verão de 2001.

Estreou-se pelos leões logo no 1º jogo oficial da temporada frente ao FC Porto (1-0). Fez um dupla de sucesso com Paulo Bento no “miolo” do terreno, que proporcionava aos mais dotados tecnicamente (como Pedro Barbosa, João Pinto ou Quaresma) jogarem sem grandes preocupações defensivas. Realizou 33 jogos oficiais e ajudou a ganhar o Campeonato e a Taça.

Não sendo jogador para “grandes correrias”, destacava-se pelo rigor tático que emprestava ao jogo, aliado a um bom posicionamento e razoável capacidade técnica. O momento mais curioso da sua 1ª época em Alvalade foi o “golaço” que marcou na final da Taça frente ao Leixões que a equipa de arbitragem (chefiada por Olegário Benquerença) não considerou por não se aperceber que a bola tinha ultrapassado (e fê-lo claramente) a linha de golo.

A temporada seguinte não foi tão feliz, mas Laszlo Bölöni raramente abdicou do rigor tático de Rui Bento. Voltou a realizar 33 jogos e apontou o seu único golo em todo o percurso no Sporting a 24 de Fevereiro de 2003 em Moreira de Cônegos (2-1), por sinal um golão (bem parecido com o não considerado na referida final da Taça) que valeu um triunfo difícil.

2003/04 foi a sua última época no Sporting. Fernando Santos utilizou-o muito pouco preferindo Custódio (a revelação da época), Rochemback ou Tinga (novos recrutas). Jogou pela última vez no Bessa (1-2) a 17 de Abril de 2004.

No total esteve 3 épocas em Alvalade realizando 71 jogos e marcando 1 golo. Ganhou 1 Campeonato Nacional, uma Taça de Portugal e uma Supertaça.

No ano seguinte passou pelo Académico de Viseu onde iniciou a carreira de treinador. Depois esteve no Barreirense, Penafiel e Boavista até chegar às seleções jovens da Federação Portuguesa de Futebol. Mais tarde esteve no Beira-Mar (até 2001/12) para embarcar depois numa aventura nos sub-23 Al-Ahli Jeddah (Arábia Saudita).

Foi 6 vezes internacional A.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário