Tiago

Tiago Alexandre Baptista Ferreira nasceu a 16 de Abril de 1975 em Torres Vedras. Jogava no Lourinhanense quando chamou à atenção de Ferenc Meszaros (antigo guardião leonino que na altura trabalhava no Sporting).

Chegou a Alvalade no defeso de 1995 e estreou-se oficialmente (curiosamente no mesmo dia que Octávio Machado como técnico principal) a 4 de Abril de 1996 num empate na Amadora (1-1) para a 29ª jornada do Campeonato Nacional. Essa foi a sua única aparição da época (Costinha era o titular), o mesmo acontecendo no ano seguinte (aí era De Wilde o mais utilizado).

No início de 1998, com a chegada de Carlos Manuel ao comando técnico da equipa, Tiago assumiu pela 1ª vez a condição de titular. O “herói de Estugarda” preferiu-o ao belga De Wilde, e a verdade é que o jovem guardião esteve bem, ajudando a disfarçar um pouco a falta de confiança da equipa (que na altura vivia um péssimo momento).

Na temporada que se seguiu, agora sob a orientação de Mirko Jozic, Tiago manteve a titularidade, que perdeu para Nélson após um jogo infeliz em Alverca já na parte final da época. Acabou emprestado ao Estrela da Amadora (até porque o Sporting contratou Schmeichel) onde permaneceu 2 anos em muito bom nível, a ponto de voltar a Alvalade para 2001/02, agora com Laszlo Bölöni. O romeno não deu declaradamente a titularidade a nenhum dos seus guarda-redes. Tiago e Nélson fizeram exactamente o mesmo número de jogos (24) numa temporada em que os leões conquistaram a “dobradinha”.

Na época seguinte (2002/03) a alternância manteve-se, mas no Verão de 2003 chegou Ricardo, que beneficiou na inequívoca preferência do treinador Fernando Santos. Nelson ainda jogou 3 vezes mas Tiago não somou uma única presença oficial… A situação foi similar com Peseiro em 2004/05, mas aí Tiago ainda jogou em 3 ocasiões para a Taça de Portugal.

A situação de suplente pouco utilizado nunca mais mudou até ao final da sua carreira. No entanto sempre se mostrou uma alternativa de confiança quando chamado e sempre constituiu um exemplo e um “conforto” para os mais jovens. Ainda assim, foi em 2008/09, ao ser utilizado 13 vezes por Paulo Bento, que teve a época mais efetiva.

Jogou oficialmente pela última vez (com o treinador Ricardo Sá Pinto, e apenas alguns minutos) a 12 de Maio de 2012, na última jornada do Campeonato, num Sporting-Braga (3-2).

Totalizou 15 épocas na equipa principal do Sporting (utilizado oficialmente em 14), tendo realizado 129 jogos e sofrido 125 golos. Fez parte de plantéis que ganharam 1 Campeonato Nacional, 3 Taças de Portugal e 4 Supertaças. Foi uma vez internacional B.

Terminada a carreira de futebolista continuou e continua ligado ao Sporting como treinador de guarda-redes da equipa de juniores e depois da equipa B com as mesmas funções.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário