Carlos Manuel – A experiência como jogador e a falta dela como técnico

Carlos Manuel Correia dos Santos nasceu a 15 de Janeiro de 1958 na Moita. Em criança era sportinguista, os seus ídolos chamavam-se Damas e Peres. Começou muito cedo a paixão pelo futebol iniciando-se na CUF e passando depois pelo Barreirense. Em 1978 foi contratado pelo Benfica e atingiu o pico da carreira.

Era um centrocampista de muita garra, com boa técnica e excelente remate de meia distância. Autor do golo que possibilitou à Seleção Nacional marcar presença no Mundial de 1986 no México (por isso ficou para sempre como o “herói de Estugarda”) acabou “escorraçado” do Benfica e encetou aventura no estrangeiro pelo Sion da Suiça.

Chegou a Alvalade no defeso de 1988 como uma das “unhas” de Jorge Gonçalves. Estreou-se oficialmente a 21 de Agosto num Leixões-Sporting (0-2) para a 1ª jornada do Campeonato e marcou pela 1ª vez na receção ao Sporting de Espinho (3-1) a 30 de Outubro. Nessa 1ª temporada (sob o comando de Pedro Rocha, Vítor Damas e Manuel José) foi um dos jogadores mais utilizados da equipa realizando 37 jogos e apontando 4 golos, mas o sucesso coletivo não aconteceu… No ano seguinte até foi um dos capitães, mas com a substituição de Manuel José por Raúl Águas no comando técnico perdeu protagonismo acabando por rescindir ainda antes do final da época. Acabou acusando este último técnico de que “com ele só jogam os amigos”.

A sua última partida foi realizada a 18 de Março de 1990 – Sporting-Desp. Chaves (1-1) No total esteve duas épocas no Sporting realizando 56 jogos e marcando 5 golos. Em Alvalade ganhou um Prémio Stromp, que confessou ter sido uma das maiores alegrias da sua vida desportiva.

Esteve depois no Boavista e no Estoril, clube onde se iniciou como treinador. Passou posteriormente para o Salgueiros onde realizou um excelente trabalho, acabando por ser contratado para o Sporting por iniciativa de José Couceiro (na altura diretor desportivo), quando era um dos mais promissores treinadores de Portugal. Chegou a Alvalade numa fase de grande instabilidade da equipa leonina, que nessa temporada (1997/98) já contara 3 treinadores (Octávio Machado, Francisco Vital e Vicente Cantatore).

Estreou-se a 5 de Janeiro de 1998 num Rio Ave-Sporting (0-0) para a 15ª jornada do Campeonato e permaneceu até ao final da temporada com resultados muito insuficientes e sempre num ambiente adverso, pois teve problemas com alguns dos principais futebolistas do plantel. Acabou, ainda assim, por conseguir os “serviços mínimos” ao apurar a equipa para as competições europeias…

Passou depois por vários clubes, destacando-se o título de campeão da 2ª divisão de honra pelo Santa Clara em 2001 (prosseguindo um trabalho iniciado por Manuel Fernandes – que entretanto saira para o Sporting). Atualmente continua a treinar ao mesmo tempo que faz comentários para as televisões.

CARLOS MANUEL como treinador do SPORTING
ÉPOCA J V E D GM GS %
97/98 22 10 6 6 35 27 59,1%

Post to Twitter

Deixe o seu comentário