O último jogo no Regional de 1915/16, frente ao Benfica

16 de Janeiro de 1916. O Sporting fez o seu último jogo no Campeonato de Lisboa dessa época (devido a problemas surgidos com a AFL – que levaram à desistência na competição), frente ao Benfica.

Depois duma bem sucedida digressão a Madrid os leões eram tidos como uma extraordinária equipa, que vencera claramente, os jogos até aí disputados – 6-0 ao Império, 5-0 ao Lisboa FC e 7-0 ao CIF. O Benfica vinha também de boas exibições no Torneio Internacional de Sete Rios.

O jogo disputou-se no campo do Stadium. Os camarotes eram a 2 e 3$, os “fauteuils” a 60 e 50 centavos, as bancadas a 40 centavos e o peão a 15 centavos.

O Sporting alinhou com: Paiva Simões (na foto); Amadeu Cruz e Jorge Vieira; Marcelino, Artur José Pereira e Boaventura da Silva; António Stromp, Jaime Gonçalves, Perdigão, Francisco Stromp e Armour.

Raúl Barros estava magoado com uma fratura contraída em Madrid, constituindo uma baixa importante nos sportinguistas. Mais de 7.000 pessoas assistiram ao jogo, numa partida que despertava grande entusiasmo. Apesar de todo o interesse gerado o desafio não teve o brilho que seria de esperar. As equipas, apesar de muito enérgicas, estiveram demasiado ansiosas e agressivas, com um futebol precipitado.

O Sporting carregou muito na 1ª parte mas não conseguiu concretizar, acabando por ser o Benfica a marcar o 1º golo. Nos primeiros 20 minutos da 2ª parte os leões continuaram a dominar e chegaram ao empate por António Stromp num belo remate.

O árbitro, Luciano Simões, esteve muito bem apesar da grande luta, que no entanto nunca excedeu o razoável. Segundo o “Diário de Notícias”: “O público gritou de mais, e é inadmissível que os jogadores rematem para a baliza depois do árbitro assinalar fora-de-jogo. O público festeja o golo e depois é o cabo dos trabalhos para se conformar…”

Post to Twitter

Deixe o seu comentário