Triunfo na Europa com duas estreias a marcar

7 de Dezembro de 2012. 282º jogo do Sporting nas Competições Europeias de futebol. Em jogo da 6ª e última jornada da Fase de Grupos da Liga Europa os leões receberam a equipa húngara do Videoton em partida que serviu apenas e só para cumprir calendário… O Sporting fazia a pior época da sua História, e as coisas corriam mal não só a nível interno como na Europa do futebol (nem uma só vitória na Fase de Grupos…).

O treinador Frank Vercauteren (que tinha substituído Oceano, que por sua vez já tinha substituído Sá Pinto, e que ainda viria a ser substituído por Jesualdo Ferreira – esteve apenas 11 jogos à frente da equipa) apresentou a seguinte formação: Marcelo Boeck ; Cédric, Boulahrouz, Xandão e Insúa; Rinaudo e Gelson Fernandes; Ricardo Esgaio, Labyad e Diego Capel (Pranjic 85); Viola.

Destaque para a estreia oficial do jovem Ricardo Esgaio (que vinha dando boa conta de si na equipa B) numa equipa leonina que podia ter marcado logo no 2º minuto após uma assistência magnífica de Labyad para Viola, que rematou de forma desastrada por cima.

Quem esperava um Sporting entusiasmante após esse bom início logo se desiludiu, pois foram os húngaros a mostrar mais capacidade no 1º tempo. Aos 17 e 20 minutos Marcelo Boeck fez duas magníficas defesas. Aos 23 Renato Neto rematou à trave, aos 26 Boulahrouz salvou um golo quase feito oferecendo as costas à bola… Até ao intervalo o Sporting nada mais de significativo conseguiu fazer numa 1ª parte medonha dos leões.

Felizmente as coisas mudaram no 2º tempo. A equipa verde e branca surgiu mais agressiva e com mais intenções atacantes. Diego Capel era o homem em maior destaque devido ao seu empenho, sobretudo, mas também a alguns bons lances que ia criando para os seus companheiros. Aos 51 minutos o espanhol amorteceu bem de cabeça para Boulahrouz, em excelente posição, atirar por cima. Aos 58 foi Insúa a cruzar bem, mas Viola, com a baliza toda aberta, conseguiu (em jeito de defesa) aliviar… Aos 64 surgiu o golo após um tiro de Insúa (de livre) e recarga de Labyad (estreia oficial a marcar de verde e branco).

O Sporting ia jogando razoavelmente. Aos 71 minutos um excelente passe Cédric isolou Labyad, que completamente só permitiu a defesa ao guardião visitante… Aos 78, no único lance ofensivo dos húngaros até aí na 2ª parte, a bola foi de encontro ao braço de Rinaudo e o Videoton empatou, de penalty, por Sandór. O árbitro esqueceu-se então de mostrar o 2º amarelo a Rinaudo, tal como se tinha esquecido minutos antes de fazer o mesmo a Toth num lance claro para 2ª admoestação.

Alvalade “gelou” ainda mais, mas por pouco tempo, porque aos 81 minutos Viola marcou – também se estreou nesse particular, de cabeça, e após muita confusão, na sequência dum livre de Capel por falta sobre ele cometida (aliás foram muitas sobre o espanhol, e uma delas – verdadeira agressão, até valeu a expulsão de Sandór, aos 83 minutos).

Até final ainda houve tempo para Insúa (após grande abertura de Labyad) oferecer o golo a Viola, que conseguiu falhar mais uma vez…

2-1 acabou por ser o resultado duma partida em que o Sporting voltou a estar muitos furos abaixo do exigível. Individualmente, de destacar a exibição sem mácula de Marcelo Boeck (que “salvou” a equipa na 1ª parte por várias vezes), bem como a agradável estreia de Esgaio, a boa exibição de Rinaudo (apesar da infantilidade do penalty) e a voluntariedade de Insúa (ainda assim pouco inspirado) e Capel. No plano oposto a prestação confrangedora de Viola (horrível – só se salvando o golo da vitória), mais uma prova da mais que provada falta de protagonismo de Gelson e a tremenda irregularidade de Labyad (tinha potencial para fazer muito mais)…

Esta foi a 119ª vitória do Sporting em jogos da UEFA.

Foto: Ricardo Esgaio, que se estreou oficialmente.

video

Post to Twitter

Deixe o seu comentário