Estoicismo em Florença

13 de Dezembro de 1967. Foi talvez o jogo mais marcante da carreira europeia do Sporting nessa temporada. Depois de ter vencido em Alvalade por 2-1, o Sporting foi a Florença, para os 1/16 avos de final da Taça das Cidades com Feira (após ter eliminado os belgas do FC Brugges) fazer das “tripas coração”. O jogo disputou-se no Estádio Comunale tendo o Sporting alinhado com: Carvalho; Barnabé, Armando Manhiça, José Carlos (cap) e Hilário; Barão, Gonçalves e Peres; Carlitos (Alexandre Baptista 67), Adé e Lourenço.

A equipa da “casa” entrou muito bem no jogo, asfixiando até em alguns períodos o Sporting, mas foi precisamente numa fase em que os leões já se recompunham que, aos 20 minutos, a Fiorentina marcou. Barão derrubou Amarildo na esquerda do ataque italiano. Brugnera centrou para a área após um pequeno toque de Cencetti, gerou-se uma grande confusão até que a bola foi afastada para a entrada da área por Gonçalves (que escorregou), onde surgiu Maraschi, em corrida, a rematar forte ao ângulo superior esquerdo da baliza de Carvalho, que não teve qualquer hipótese de defesa.

Até ao intervalo, e com um ambiente bem “quente”, a Fiorentina poderia ter aumentado a contagem, enquanto o Sporting se ía defendendo relativamente bem.

Na entrada para o 2º tempo Peres passou para o centro do terreno, e o futebol sportinguista melhorou claramente. A lesão de Bertini (melhor jogador dos italianos) em choque com Hilário, aos 53 minutos, ajudou os verdes, e aos 57 minutos o Sporting passou para a frente da eliminatória. Foi na sequência duma bela jogada de insistência de Adé, que correu pela esquerda, fintou dois adversários e já sobre a linha de fundo centrou atrasado. Carlitos e Lourenço tentaram o remate (sem êxito), a defensiva local afastou e aí surgiu Peres a executar um magnífico pontapé cruzado para o fundo das malhas. Um belíssimo golo.

10 minutos depois Alexandre Baptista substituiu Carlitos, passando a equipa a actuar em 4X4X2 com Adé e Lourenço no ataque. Daí até final o Sporting explanou um belo futebol, a toda a largura do terreno, perante a apatia dos homens de Florença que ficaram completamente descrentes com o golo sportinguista.

A partida terminou com o público a assobiar a equipa local e ovacionar os leões, que deixaram bom cartel em Itália com a sua grande força coletiva e disciplina tática, afinal tão próprios sim, de equipas italianas…

Hilário, Peres e Gonçalves foram um trio magnífico, decisivo para a passagem leonina. No final Fernando Caiado, o treinador, abraçou os seus jogadores e referiu: “Eu não pensava perder este desafio, e todas as ideias que eu tinha sobre o jogo fi-las conjugar no sentido de conseguirmos esse objetivo. Na 2ª parte jogámos bastante melhor, quer técnica quer taticamente”. Para Carvalho: “O Sporting eliminou uma equipa melhor que a nossa. Esta campanha faz-me lembrar a da Taça das Taças que vencemos, e a continuarmos assim chegaremos à final”… Infelizmente a profecia do guardião não se confirmou, pois os leões cairiam na eliminatória seguinte aos pés dos suiços do FC Zurique…

Foto (arquivo) – Peres, a grande figura em Florença.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário