1992 – Domingos Castro liderou a equipa ao 12º título europeu de Crosse

3 de Fevereiro de 1992. O Sporting obteve a sua 12ª vitória em 15 anos na Taça dos Campeões Europeus de Crosse, numa prova onde estiveram 22 equipas campeãs dos seus países na Europa.

Domingos Castro e Carlos Monteiro colocaram-se no grupo da frente logo no início da corrida, enquanto Dionísio Castro e Eduardo Henriques “fechavam” a equipa, ainda nos primeiros. Volta a volta a superioridade leonina ia-se mantendo, uma vez com maior e outras com menor à vontade. Um pouco mais atrás, Alberto Maravilha e João Junqueira lutavam bravamente, tentando com as suas posições obstar a que as equipas adversárias “fechassem” os seus conjuntos o mais cedo possível. Até ao fim, muito homogénea, a equipa leonina conseguiu uma prestação magnífica, chegando ao final com 19 pontos contra 26 dos espanhóis da Reebok.

Os vice-presidentes Abílio Fernandes e Correia Leal estiveram presentes em Alicante para acompanhar e apoiar a equipa. Toda a comitiva, sobretudo os atletas, registaram esta presença com natural agrado.

Para o prof. Moniz Pereira: “Ficou provado mais uma vez como e porquê o Sporting tem dominado ao longo de 15 anos. Através dos tempos, com a renovação feita, temos conseguido substituir atletas como Fernando Mamede, Carlos Lopes, Ezequiel Canário e Joaquim Pinheiro, mantendo uma liderança”.

O vencedor individual, Domingos Castro, referiu que: “Foi mais fácil do que esperava, mas primeiro pensei na equipa. Só quando vi que as coisas estavam seguras atrás de mim, através do Carlos Monteiro, do Eduardo Henriques e do Dionísio, é que me fui embora para a meta. Todos lutámos por este título, pelo que estamos satisfeitos e não esquecemos aqueles que, na sombra, também nos ajudaram”.

Na classificação final, Domingos Castro foi o vencedor, Carlos Monteiro foi 2º, Eduardo Henriques foi 7º e Dionísio Castro foi 9º.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário