2015 – Muitos anos depois, o regresso às conquistas europeias no Hóquei em Patins!

26 de Abril de 2015. O Hóquei em Patins do Sporting apresentou-se em Igualada para disputar a final-four da Taça CERS de Hóquei em Patins. No 1º jogo os leões bateram o Igualada por 3-2 no prolongamento com “golo de ouro”. O jogo começou lento de ambos os lados, sem contra-ataques e grande preocupação defensiva. Ainda assim, ficou evidente que era o Sporting quem tinha mais argumentos, quer a atacar quer a defender, mas algumas perdas de bola em zonas de perigo fizeram com que o Igualada tivesse as suas oportunidades, fazendo valer a mestria do guarda-redes Ângelo Girão, a dizer presente à hora certa, por exemplo, numa grande penalidade.

Do lado leonino foi no ataque organizado que surgiu o perigo para o guardião catalão, Elagi Deitg. E foi precisamente num desses lances que João Pinto desfez o empate inicial, numa excelente finalização de primeira. No minuto seguinte e após nova grande-penalidade defendida pelo internacional português, Ton Baliu repôs a igualdade num contra-ataque em que Girão podia ter feito melhor. No entanto, ainda antes do intervalo, Tiago Losna, num contra-ataque de 3 para 2 finalizou da melhor forma levando os leões em vantagem para o descanso.

Na 2ª parte o Sporting procurou gerir o jogo, mantendo ao máximo a posse de bola. Tudo estava aparentemente sob controlo até Ricardo Figueira teve uma desconcentração a 2 minutos do final perdendo a bola no meio rinque e fazendo falta para livre-direto. No seguimento da mesma. Met Molas não desperdiçou, levando o encontro para o prolongamento.

No momento decisivo voltou a surgir Ricardo Figueira mas pelas melhores razões. Após falta sobre Tiago Losna, o capitão colocou o Sporting na final na conversão dum livre-direto, rematando forte para o fundo das redes à guarda de Elagi Deitg. A festa leonina estava montada no Pavilhão Les Comes!

No dia seguinte, 26 de Abril, veio a final frente ao Réus que batera na véspera o Óquei de Barcelos por 6-1. À imagem do jogo das meias-finais, os verde e brancos foram os primeiros a marcar por Tiago Losna, ao minuto 3, através dum remate de meia-distância. Resguardando a posse do esférico ao máximo, os ataques dos leões tinham a principal intenção de não sofrer contra-ataques assim que a bola fosse perdida, mas Réus não é uma equipa qualquer. Durante o 1º tempo ameaçou, obrigando Girão a um bom número de defesas, mas na 2ª parte materializou em golos. Marc Coy e Joan Salvat foram os marcadores.

Com 9 minutos para jogar a equipa de Alvalade procurou o jogo direto para chegar à baliza de Roger Molina, acabando por dar resultado – numa jogada pouco habitual, João Pinto empatou numa recarga a um remate de Poka que havia embatido na tabela traseira da baliza à guarda do catalão, e tudo voltou ao estado inicial.

Com o empate a poucos minutos do fim as duas equipas não arriscaram mais e houve que recorrer mais uma vez ao prolongamento. O Réus tinha 9 faltas de equipa mas conseguiu não cometer a 10ª que daria um livre-direto, provavelmente decisivo quanto às contas finais. Nas grandes penalidades Ângelo Girão voltou a estar em grande, fazendo 4 defesas. O Sporting superiorizou-se com golos de Poka e Nico Fernández, enquanto para o lado do Réus apenas Joan Salvat concretizou.

No final a alegria e as lágrimas tomaram parte do rinque e das bancadas do Pavilhão Les Comes, em Igualada (bem recheada de adeptos sportinguistas), dada a tensão do encontro e as dificuldades que durante os últimos dias afetaram a equipa.

Este foi o 6º título europeu leonino na modalidade, 2º na Taça CERS. Parabéns ao treinador Nuno Lopes e a toda a equipa sportinguista – Ângelo Girão (gr); Ricardo Figueira, André Moreira, Tiago Losna e João Pinto. Zé Diogo Macedo (gr), André Pimenta, Nico Fernández, Daniel Oliveira e Carlos Martins

O presidente Bruno de Carvalho marcou presença, claro, e foi um dos que festejou no rinque no final. Emocionado, afirmou: “É um orgulho muito grande. Isto é o Sporting que ambicionamos. Há tanta conversa e afinal é tão fácil fazer-me feliz – é vencer, porque esse é o lema do Sporting. As finais são feitas para se ganharem e o Hóquei está de parabéns. Os atletas, o treinador… É o regresso à Europa, às conquistas da Europa, e isso vai ser fundamental porque a partir daqui queremos mais, mais e mais em todas as modalidades e vamos fazer tudo para que isso aconteça”, revelou Bruno de Carvalho nas primeiras reações após o triunfo. “Já lhes tinha dito que era possível. A 1ª vez que disse eles assustaram-se mas seguiram esse sonho, ganharam um título europeu que fugia ao Sporting há 31 anos. Para mim e para o Clube ficará marcado para todo o sempre. E, claro, por estes guerreiros que conseguiram esta conquista. Isto é o Sporting! Isto é o Sporting que esta direção ambiciona, o novo Sporting que veio para ficar!”, acrescentou o Presidente do Clube.

O percurso leonino na competição:

1ª eliminatória – Calafell (Espanha) – 3-2 (fora) e 3-1 (casa)

Oitavos-de-final – Basileia (Suíça) – 4-3 (fora) e 5-3 (casa)

Quartos-de-final – Oliveirense – 2-3 (casa) e 4-1 (fora)

Meias-finais – Igualada (Espanha) – 3-2ap (fora)

Final – Reus (Espanha) – 2-2vp (neutro/fora)

vídeo

Post to Twitter

Deixe o seu comentário