Marco Chagas

Marco António Martins Chagas nasceu a 19 de Novembro de 1956 em Pontével. Desde muito novo começou  a cultivar o gosto pelas bicicletas, e era ainda uma criança quando deu as primeiras pedaladas.

Começou no Sporting, onde logo deu nas vistas, mas em 1978 mudou-se para o Águias de Alpiarça. Como o seu talento era cada vez mais evidente, passou a representar o Lousa Trinaranjus em 1979, ano em que venceu, com um contra-relógio final espetacular, a Volta a Portugal em bicicleta. Triunfou ainda na montanha e no combinado, mas todas as vitórias lhe foram retiradas por ter acusado doping. Declarou então que conscientemente não tinha tomado nada e que era mais “um boneco no meio disto tudo”. O protesto não teve quaisquer consequências…

Em 1980 foi ao “Tour” de França com Joaquim Agostinho, obtendo um 41º lugar. Regressou depois a Portugal para ganhar as voltas a Portugal de 1982 (pelo FC Porto) e de 1983 (Mako Jeans).

Com o regresso do Sporting à modalidade, Marco foi contratado pelo seu clube de sempre ao lado de outras “estrelas” como Joaquim Agostinho (que morreria em competição no Algarve) ou Manuel Zeferino. Os leões desataram a ganhar tudo o que havia para ganhar, mas com a tragédia de Agostinho os ânimos esmoreceram um pouco. Ainda assim, nova presença no “Tour”, agora com toda a equipa do Sporting, e Marco foi o melhor leão na chegada a Paris, conseguindo um 77º lugar.

Na Volta a Portugal Marco Chagas procurou a sua 3ª vitória, mas quando ia a poucos segundos de Venceslau Fernandes voltou a acusar doping…

Em 1985, depois de se ter sagrado Campeão Nacional de fundo, cumpriu finalmente um sonho de criança – o de vencer a Volta a Portugal com a camisola do Sporting, conseguindo, com o seu 3º triunfo, figurar ao lado de figuras lendárias como Joaquim Agostinho e Alves Barbosa.

No ano seguinte veio a consagração definitiva com o 4º triunfo na Volta a Portugal (facto inédito na altura) após mais um contra-relógio (a sua grande especialidade) fantástico na Praia da Amorosa.

Em 1987 voltou a acusar doping na Volta a Portugal e o Ciclismo acabou no clube 1 mês mais tarde. Marco Chagas passou depois com o brilhantismo habitual por outras paragens, mas não mais logrou a vitória na mais importante prova velocipédica portuguesa, da qual é o 2º ciclista com mais vitórias de sempre (4 –  duas das quais ao serviço do Sporting), a seguir ao espanhol David Blanco (5).

Para além desses triunfos na Volta, Marco Chagas foi Campeão Nacional de fundo em representação do Sporting em 3 ocasiões (1974, 1975 e 1985) por entre outras vitórias mais ou menos significativas.

Mais tarde foi treinador de sucesso e atualmente promove o gosto pelo Ciclismo na comunicação social, onde se assume como um comentador do melhor que há em termos desportivos. Entretanto em finais de Setembro de 2018 foi anunciado o seu regresso ao Sporting, agora no papel de consultor.

Post to Twitter

Comments (1)

 

  1. B Lopes says:

    Agora nem o Futebol Pedala Bem!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Deixe o seu comentário