Bis de Slimani num clássico frenético

2 de Janeiro de 2016. 1º clássico do ano. Em Alvalade o Sporting recebia o Porto com o objetivo de retomar a liderança do nosso Campeonato, estranhamente perdida na jornada anterior na Madeira.

Perante um Estádio Alvalade completamente lotado (49.382 espetadores) o encontro foi transmitido em direto para 55 países, nomeadamente para a esmagadora maioria das nações europeias, mas também para China, Singapura, Macau, Coreia do Sul, EUA e América Latina.

Jorge Jesus apresentou a seguinte equipa: Rui Patrício; João Pereira, Paulo Oliveira, Naldo e Jefferson; William Carvalho; João Mário, Adrien (Aquilani 90) e Matheus Pereira (Gelson Martins 62); Bryan Ruiz; Slimani.

O jogo começou equilibrado, em toada de parada e resposta. A verdade é que o Porto até entrou bem em Alvalade obrigando o último reduto defensivo leonino a estar em alerta máximo. Em termos ofensivos o Sporting encontrava dificuldades mas uma vez ou outra lá conseguia levar algum frisson junto da área portista. Aos 20 minutos Rui Patrício foi decisivo ao sair no momento exato a um lance em que Aboubakar se isolava. Aos 26 Matheus foi carregado por Maxi na esquerda do ataque leonino – Jefferson marcou o livre para a área e Slimani surgiu fulgurante com um “míssil” de cabeça a inaugurar o marcador.

O jogo estava competitivo, interessante, disputado à flor da pele até à última gota de suor. O Sporting trocava bem a bola e procurava também lançar os seus atacantes em profundidade. O Porto não desistia e aos 33 minutos Rui Patrício voltou a brilhar com uma “mancha” magnífica a negar o golo ao isolado Aboubakar. Antes do intervalo João Mário podia ter feito bem melhor num cabeceamento após bela jogada de Matheus.

A 2ª parte começou com um Porto um pouco mais avançado no terreno e o Sporting a conseguir explorar muito bem essa situação para sair de forma rápida e criar várias situações de muito perigo. Por outro lado a defesa sportinguista estava praticamente irrepreensível não permitindo aos portistas, sequer, criar situações de golo. Aos 65 minutos belo cruzamento de João Mário e Slimani em posição magnífica cabeceou para o relvado e a bola bateu na trave – na recarga tiraço de Bryan para grande defesa de Casillas. Aos 71 grande jogada e Adrien a rematar colocado no poste com João Mário a desperdiçar o golo na recarga com a baliza aberta…

Aos 78 minutos grande lance de Gelson e o árbitro a perdoar claramente o 2º amarelo a Herrera. Aos 85 passe soberto de rutura de Bryan a desmarcar Slimani na meia-esquerda que rematou colocadíssimo fazendo o 2-0 e tranquilizando definitivamente Alvalade. Pouco depois Maxi deu ostensivamente uma cotovelada em Naldo e o vermelho ficou novamente no bolso de Hugo Miguel…

O final chegou com uma vitória indiscutível do Sporting. O coletivo funcionou muito bem, mas houve prestações individuais a realçar – desde logo Rui Patrício, com pouco trabalho mas decisivo nas suas intervenções. Naldo fez uma das melhores, se não a melhor exibição do pouco tempo que levava de verde e branco. Adrien encheu o campo de voluntariedade e classe (um verdadeiro portento!), Bryan Ruiz mostrou o talento habitual e Slimani foi ele mesmo no seu melhor.

O Sporting chegou assim de novo à liderança com o objetivo claro de a manter até final da competição!

vídeo

Post to Twitter

Deixe o seu comentário