Escancaradas as portas do título, no Porto

8 de Fevereiro de 1970. Nesse dia a esperança do Benfica residia nas Antas. A 8 jornadas do final do Campeonato os encarnados contavam que os portistas pudessem roubar pontos ao leões.

Este foi um jogo que praticamente valeu um título, graças ao golo de Lourenço. O campeonato dos leões estava a ser magnífico, e uma vitória no Porto poderia ser um passo quase decisivo para o conquistar. Orientados por Fernando Vaz, os leões alinharam com: Damas; Pedro Gomes, Caló, José Carlos (cap) e Hilário; Gonçalves e Peres; Marinho, Nelson, Lourenço (Chico) e Dinis (Celestino).

Estava um belo dia de sol que proporcionou uma tarde agradável de futebol. O Estádio das Antas registou uma grande enchente onde se destacava uma enorme falange sportinguista. A partida começou em grande ritmo, com ataques de um e outro lado, o que tornou o jogo excitante. As duas equipas mostravam-se valentes lutando pelo melhor resultado. Aos 9 minutos Damas foi obrigado a excelente defesa a potente remate de Rolando. Entretanto os guarda-redes contrastavam nas suas prestações. Enquanto Vaz tornava o fácil difícil, Damas tornava o difícil fácil, e talvez, também por isso, a equipa sportinguista parecesse mais confiante.

O único golo da partida surgiu aos 24 minutos. Nélson arrancou pela defesa portista dentro e atirou enviesado. O remate saiu mal, mas Lourenço estava no melhor sítio para emendar o esférico para o fundo da baliza.

Este golo transformou completamente o jogo. O FC Porto encolheu-se, sentiu-se pequeno perante os líderes do Campeonato. Dinis falhou depois o 2º por muito pouco e Pavão agrediu a pontapé Gonçalves, sem que o árbitro tenha intervindo.

O intervalo chegou com a vantagem mínima do Sporting e no início da 2ª parte os locais pareceram com outra disposição, tendo Nóbrega obrigado Damas a defesa de recurso, para a barra, aos 51 minutos, Esta foi, no entanto, a única oportunidade de golo dos portistas em toda a 2ª parte, pois a equipa nortenha esteve sempre mais preocupada em anular os avançados sportinguistas que propriamente em construir jogo… Até final o Sporting esteve sempre mais perto de aumentar a parada que o FC Porto de empatar, e nesse particular Chico esteve desinspirado. Peres e Nélson foram as maiores figuras verde e brancas dum coletivo impressionante onde todos jogaram em bom nível.

Na entrada para o balneário, de braços no ar, Nélson gritou: “Somos campeões” (até porque o Benfica perdeu nessa mesma tarde com a CUF, na Luz, por 1-0). Os abraços entre sportinguistas eram mais que muitos mas Fernando Vaz encarregou-se de acalmar os ânimos. O técnico afirmou: “Merecemos ganhar e até podíamos ter ampliado a vantagem. 2-0 seria mais justo, mas gostei do FC Porto que é uma equipa perigosa, embora atacasse muito pelo ar. O Campeonato ainda não está ganho, estamos mais perto, mas ainda faltam 8 jornadas…”

Entretanto o vice-presidente do F. C. Porto, Ivo de Araújo, comentara: “Nem sequer nos podemos desculpar com o árbitro…”

Post to Twitter

Deixe o seu comentário