Ricardo – Magníficos reflexos e muito bom jogo de pés

Ricardo Alexandre Martins Soares Pereira nasceu a 11 de Fevereiro de 1976 no Montijo. Começou por jogar no clube da sua terra (chegou a ser avançado – e por isso, mais tarde, como senior, jogava muito bem com os pés) até o treinador Manuel José (então do Boavista) o contratar com apenas 19 anos.

No Bessa começou, pouco a pouco, a destacar-se ganhando a titularidade e conquistando troféus (avultando o título de campeão em 2000/01), o que o levou a chegar à Seleção nacional. Aí foi criada grande polémica pela preferência de Scolari por ele em detrimento de Vítor Baía, mas, com “nervos de aço”, Ricardo foi desempenhando de forma positiva o seu papel por Portugal (onde somou 79 internacionalizações). Destacou-se nesse particular nos “lendários” desempates por pontapés da marca de grande-penalidade frente à Inglaterra.

Depois de estar pertíssimo de assinar pelo Benfica acabou contratado pelo Sporting no Verão de 2003. Estreou-se oficialmente a 16 de Agosto frente à Académica (2-1), em jogo da 1ª jornada do Campeonato Nacional.

No Sporting esperava-se de Ricardo que fosse um super guarda-redes, o que não se verificou. Ainda assim foi titularíssimo logo na 1ª época, com Fernando Santos. Na temporada seguinte (sob o comando de José Peseiro) voltou a ser o “dono da baliza”, no entanto tanto se mostrava muito bom “entre os postes” como algo comprometedor fora deles. Nesse ano, 2005, ajudou os leões a chegar à final da Taça UEFA, mas um misto de erro seu com carga de Luisão levou a uma derrota na Luz que deitou tudo a perder no Campeonato Nacional…

Em 2005/06, após a chegada de Paulo Bento, Ricardo viveu os melhores momentos em Alvalade, chegando mesmo a ser fantástico e indiscutivelmente o melhor de Portugal. Na época seguinte o cenário manteve-se – esteve em grande plano.

Fez a sua última partida de “leão ao peito” a 27 de Maio de 2007 na final da Taça de Portugal ganha ao Belenenses por 1-0 (que constituiu o seu único título pelo clube). Pouco tempo depois saiu para o Bétis de Sevilha que lhe apresentou condições económicas muito superiores às que o Sporting lhe oferecia.

No total esteve 4 épocas em Alvalade, realizando 158 jogos oficiais e sofrendo 131 golos.

Em Espanha não foi feliz (a equipa acabou por descer ao 2º escalão) e Ricardo passou mesmo muito tempo sem jogar até assinar pelo Leicester, de Eriksson, em Janeiro de 2011. Depois regressou a Portugal para alinhar no Vitória de Setúbal e Olhanense. Terminou a carreira em 2014.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário