Acosta – O nosso “matador”

Alberto Frederico Acosta nasceu a 23 de Agosto de 1966. Depois duma carreira que já ia longa, com passagens por França, Chile e Japão (para além, claro, da sua Argentina), chegou ao Sporting numa altura em que a equipa leonina vivia “órfã” duma referência no seu ataque. Apesar de já ter muitas internacionalizações pelo seu país, os sportinguistas duvidaram da sua capacidade, sobretudo pelo facto de já contar 32 anos.

Estreou-se oficialmente a 19 de Dezembro de 1998 numa derrota (“mentirosa”) nas Antas por 3-2 e marcou o seu 1º golo (bisou) a 31 de Janeiro de 1999 numa receção à Académica (5-0).

Com Mirko Jozic (que o indicara ao clube) não jogou muito, até porque passou por um período largo de adaptação (o que acontece com muitos sul-americanos que chegam à Europa). Na temporada seguinte Materazzi parecia não contar com ele mas a chegada de Augusto Inácio ao comando técnico do Sporting e a firme aposta no argentino fê-lo transfigurar-se, a ponto de se tornar um verdadeiro ídolo dos sportinguistas e de ter sido um dos principais protagonistas na conquista do Campeonato Nacional de 2000, 18 anos depois… Nessa época foi o melhor marcador da equipa com 24 golos. Desse ano fantástico ficaram muitas recordações, as mais fortes das quais, no entanto, terão sido a magnífica exibição na Luz para a Taça de Portugal (com 2 golos) e o remate fantástico que valeu o 2º tento contra o FC Porto no jogo da “viragem” do Campeonato.

Em 2000/01 voltou a estar em grande plano, foi mais uma vez o artilheiro da equipa (21 golos) e contribuiu para o triunfo na Supertaça (a 16 de Maio), fazendo o golo solitário do triunfo frente ao FC Porto (o seu último ao serviço do Sporting). Despediu-se no jogo derradeiro do Campeonato frente ao Marítimo (1-0) no dia 27 de Maio.

No final da temporada voltou ao seu país onde ainda fez 3 épocas no San Lorenzo.

Esteve um total de 3 épocas no Sporting, tendo realizado 99 partidas oficiais e marcado 48 golos. Ganhou 1 Campeonato Nacional e uma Supertaça.

Em honra dele os adeptos leoninos cantavam uma canção que terá sido provavelmente a mais famosa de sempre dedicada a um futebolista verde e branco: “Matador, matador, Beto Acosta, Beto Acosta és o nosso matador”.

Em 2010 esteve em Portugal fazendo um filme de promoção para as “Gameboxes”, altura em que aproveitou para reafirmar o seu eterno amor ao Sporting, um sentimento certamente recíproco por parte da esmagadora maioria dos leões.

GOLOS de ACOSTA ao serviço do SPORTING
ÉPOCA LC TU CN TP ST TOTAL
1998/99 - 0 3 0 - 3
1999/00 - 0 22 2 - 24
2000/01 0 - 14 5 2 21
Total 0 0 39 7 2 48

Post to Twitter

Deixe o seu comentário