Valadas – Canhoto entusiasmante “empurrado” para o grande rival…

Alfredo Valadas Mendes nasceu a 16 de Fevereiro de 1912 nas Minas de S. Domingos. Começou a carreira de futebolista muito cedo no Luso de Beja (aos 14 anos já dava nas vistas), e concretizou o seu sonho de menino (era um sportinguista de coração) ao chegar ao Sporting no defeso de 1931.

Estreou-se oficialmente no dia 13 de Dezembro  (sob o comando de Arthur John) num empate frente ao Chelas (2-2) para o Regional de Lisboa. Marcou o 1º golo a 10 de Janeiro de 1932 num triunfo por 10-2 perante o Luso do Barreiro para a mesma competição.

Logo nessa 1ª temporada de verde e branco ganhou um lugar como interior-esquerdo fruto das suas magníficas potencialidades. Não era um virtuoso em termos técnicos mas jogava com um entusiasmo e querer contagiantes. Chegou nessa altura a internacional e marcou logo na estreia frente à Jugoslávia.

Na 2ª temporada de verde e branco Valadas confirmou tudo o que dele se esperava. Agora com Rudolf Jeny como treinador, foi mais utilizado como extremo-esquerdo e marcou presença assinalável na equipa que chegou à final do Campeonato de Portugal.

Entretanto os responsáveis do Sporting haviam-lhe prometido um emprego que lhe permitisse ter mais estabilidade, mas a promessa não foi cumprida. Com alguma mágoa saiu do clube e esteve quase 1 ano sem jogar até chegar ao Benfica, onde lhe proporcionaram excelentes condições. No rival este sportinguista ferrenho construiu uma carreira magnífica recheada de títulos.

O seu último jogo (grande exibição) pelo Sporting aconteceu no dia 2 de Julho de 1933 na final do Campeonato de Portugal frente ao Belenenses (1-3). Marcara o golo derradeiro em Coimbra, uma semana antes, na meia-final da mesma competição perante o FC Porto (3-1). No total alinhou em 38 jogos pelos leões apontando 24 golos.

O seu lado humano também foi muito realçado à época. Foi homem para (já ao serviço do Benfica) dar um grande abraço a Azevedo após uma defesa extraordinária do guardião sportinguista num dos imortais derbis entre os 2 colossos de Lisboa (e que provocou uma ovação estrondosa do público). Outro episódio aconteceu na sua festa de despedida em que promoveu as pazes entre Peyroteo e Gaspar Pinto (desavindos há muito pelas impiedosas marcações do defesa benfiquista ao goleador leonino).

Foi 6 vezes internacional marcando 2 golos.

Este magnífico atacante constituiu o 1º exemplo dos vários que (infelizmente) têm acontecido ao longo da História de má gestão desportiva dos responsáveis pelo futebol sportinguista, que deixaram de contar com um futebolista de grande craveira (e ainda muito jovem) “empurrando-o” para um rival…

GOLOS de VALADAS ao serviço do SPORTING
ÉPOCA CP CR TOTAL
1931/32 1 8 9
1932/33 3 12 15
Total 4 20 24

Post to Twitter

Deixe o seu comentário