Futebol – O momento atual

Antes de mais convém realçar que para nós não está em causa o Presidente Bruno de Carvalho.
É um homem. Comete erros como todos os homens, excede-se por vezes, mas não nos esquecemos de como o Sporting estava quando chegou e como o Sporting está agora – a todos os níveis, começando pelo financeiro, passando pelo patrimonial e acabando no desportivo.
Ou seja, para nós, Sporting Canal, Bruno de Carvalho tem feito um bom trabalho (por vezes hercúleo) na defesa do Sporting Clube de Portugal.
Mas como não somos acéfalos nem carneirinhos, e abordando a situação atual do nosso Futebol, devemos referir o seguinte:

- Então o projeto para o nosso futebol não passava por aproveitar ao máximo a Academia apostando claramente na formação, complementada por 3 ou 4 jogadores de indiscutível classe? Não estará tudo subvertido?
- O treinador da nossa equipa de futebol (cuja contratação apoiámos absolutamente) não deveria respeitar regras internas? não deveria trabalhar com a matéria-prima que o clube lhe põe à disposição? De quem é a responsabilidade do pouco aproveitamento dos nossos jovens, de tantas contratações péssimas e de tantos “tiros no pé” a nível de comunicação que já envergonham os sportinguistas?

Sejamos mais específicos dando alguns exemplos:
- Ryan Gauld (um talento enorme) não estará a ser “queimado” quando seria uma ótima alternativa para 8 ou 10?
- Matheus Pereira, que já mostrou inúmeras vezes a enorme qualidade que tem, não é potenciado… Porquê?
- Iuri Medeiros não faria muito melhor que Markovic?
- Francisco Geraldes ou Wallyson não fariam muito melhor que Elias?
- Palhinha ou Zezinho (entretando já desvinculado) não serão superiores a Petrovic?
- Daniel Podence (que fez uma excelente pré-temporada) não seria também uma boa aposta para as alas ofensivas?
- Miúdos como Leonardo Ruiz, Ronaldo Tavares ou mesmo o talentosíssimo Pedro Marques (embora ainda muito jovem) não fariam bem melhor que André ou Castaignos?
- João Pereira, um dos mais aguerridos e com mais “alma” da nossa equipa é vendido? Porquê?
- Paulo Oliveira, que na temporada passada (até Janeiro) foi um verdadeiro “relógio suiço”, estando presente em todos os grandes momentos da equipa até aí, foi praticamente “arrumado”. Porquê?
- Emprestar Tobias Figueiredo para ir buscar Douglas?! Para quê?

Agora fala-se constantemente de reforços estrangeiros para a lateral-direita ou para a lateral-esquerda… E Riquicho? não conta? E Pedro Empis? não conta? Será que terão de nascer 10 vezes?
Acabam de ser contratados 2 angolanos de grande talento – oxalá sejam aproveitados…

Para quê um “camião” de futebolistas estrangeiros, não identificados com o clube, e sem o mínimo de qualidade exigível?
Dos inúmeros reforços praticamente só Bas Dost – e a espaços Joel Campbell e Alan Ruiz, têm mostrado qualidade. Petrovic, Elias, Meli, Markovic, Castaignos, André… tudo “refugo”, tudo gente sem qualidade para jogar no Sporting.

O Sporting tem meia-dúzia de futebolistas no plantel com qualidade e experiência (Rui Patrício, Beto, William, Adrien, Bruno César, Bryan Ruiz, Bas Dost) que podem servir de base à integração de jovens da formação de grande potencial (que existem!), em vez de se contratar às “pazadas” estrangeiros de qualidade duvidosa.
Uma das principais funções de um treinador de futebol do Sporting é potenciar a enorme qualidade dos futebolistas que saem da Academia.

A equipa B está a ser um desastre… Tanto gente de qualidade sem “fio de jogo”, sem critério… e tanto treinador identificado com o nosso clube e com provas dadas (Sá Pinto, por exemplo) disponíveis…

Não dizem que temos a melhor formação do Mundo? Que formou, por exemplo, 2 “melhores do mundo”? Então porque não apostar a sério em quem de lá sai em vez de estar permanentemente a buscar futebolistas vindos de fora sem identificação com o clube e, pior do que isso, sem qualidade?

O treinador do Sporting deve ser um homem conhecedor, muito sagaz taticamente, ambicioso, totalmente comprometido com o clube, bom comunicador e com uma boa imagem. Este deve ser o perfil.
O ideal será neste momento conseguir dar a volta por cima, com Jorge Jesus se possível. Não há treinadores eternos nos clubes, mas há treinadores que pela sua postura podem eventualmente permanecer muito tempo num mesmo clube – Jorge Jesus não nos parece ser um deles.
Há um treinador português que Bruno Carvalho deve ter permanentemente debaixo de mira antes de correr o risco de o perder para um rival. Como comunicador é do melhor que existe. Tatica e motivacionalmente é excelente. Está identificado com o Sporting – foi campeão por 2 vezes connosco. Conhece o “fenómeno” da formação como ninguém. Deveria ser ele, mais tarde ou mais cedo, o futuro do Sporting – e é um homem com caraterísticas para permanecer muito tempo connosco, embora a sua ponderação possa “chocar” um pouco com a versão mais “sanguínea” do nosso Presidente. Aí é a inteligência e a sagacidade de Bruno de Carvalho que tem de funcionar ao mais alto nível.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário