Diego Capel – Raça e irreverência

Diego Ángel Capel Trinidad nasceu a 16 de Fevereiro de 1988 em Albox – Espanha. Começou a jogar no Barcelona mas ainda menino transferiu-se para Sevilha marcando presença assídua nas seleções espanholas (foi campeão de Europa de sub-19 e sub-21). Já senior começou rapidamente a brilhar a grande altura despertando a cobiça dos maiores clubes espanhóis, mas a transferência acabou por nunca se concretizar.

Foi contratado pelo Sporting ao Sevilha no defeso de 2011, uma contratação que deu brado porque se tratava de um futebolista internacional de grandes créditos em Espanha. O seu estilo fazia lembrar um pouco o de Paulo Futre pela forma como rompia pelo corredor esquerdo e entrava sem contemplações na área contrária “esburacando” defesas.

Estreou-se oficialmente a 13 de Agosto de 2011 na 1ª jornada do Campeonato em Olhão (1-1) com o treinador Domingos Paciência. Marcou o 1º golo oficial a 2 de Outubro do mesmo ano, em Guimarães (foi mesmo o único golo da partida).

Nessa 1ª temporada foi uma das grandes figuras da equipa somando 49 jogos (o 2º mais utilizado a seguir a Schaars) e 7 golos ajudando o conjunto a fazer uma meritória carreira na Liga Europa (chegou às meias-finais) e na Taça de Portugal (chegou à final, sendo surpreendentemente batida pela Académica).

A época seguinte foi a pior da História do futebol do Sporting, que não passou de um constrangedor 7º lugar no Campeonato. Ainda assim, e logo a seguir a Rui Patrício, o espanhol foi a principal figura da equipa, sendo aliás muitíssimo estimado pelos adeptos que sempre viram nele um exemplo de abnegação. Fez 5 golos em 36 jogos (3º mais utilizado a seguir a Van Wolfswinkel e Rui Patrício), e embora alguns o acusassem de não tirar os olhos do chão, criava em quase todas as partidas oportunidades para os colegas que, infelizmente, numa temporada horrível, eram quase sempre desaproveitadas.

Para 2013/14, já com o novo presidente Bruno de Carvalho, e maior estabilidade, Diego Capel foi quase sempre aposta de Leonardo Jardim, mas paradoxalmente não se destacou tanto como nos anos anteriores. Os leões ficaram em 2º lugar no Campeonato e Capel fez 3 golos em 31 jogos.

2014/15 (sob o comando de Marco Silva) foi a última temporada do veloz extremo espanhol em Alvalade e claramente a menos conseguida. 1 golo em 26 jogos foi fraco pecúlio numa equipa recheada de bons jogadores e agora com a concorrência de Nani para a sua posição. Esse golo solitário foi o último que marcou de verde e branco, a 21 de Novembro de 2014, em Santa Maria da Feira, frente ao Espinho para a Taça de Portugal (5-0). De positivo ficou a conquista da Taça de Portugal – o seu único título oficial de verde e branco.

No final da temporada saiu para Itália (Génova), dando toda a ideia que o seu ciclo em Alvalade estava na altura de terminar.

Assim, acumulou 142 jogos oficiais e 16 golos no Sporting, para além de inúmeras assistências (sempre foi o seu forte). No ranking do site Sporting Canal, Capel foi o 2º jogador mais importante da equipa em 2011/12 e 2012/13 (ambas atrás de Rui Patrício), o 9º em 2013/14 e apenas o 20º em 2014/15. Os seus números fazem dele claramente uma das principais figuras do futebol leonino na 1ª metade dos anos 10 deste século.

Por Itália não brilhou por aí além e na temporada seguinte rumou à Bélgica para representar o Anderlecht, onde também não se evidenciou muito. Atualmente está sem clube, o que para um futebolista da sua categoria soa completamente a absurdo!…

Post to Twitter

Deixe o seu comentário