Futebol – Sporting-3 Sp. Braga-1 ap – As nossas meninas continuam a ganhar tudo!

3 de Setembro de 2017. O Sporting CP conquistou a Supertaça de Futebol feminino ao vencer o Sp. Braga por 3-1 ap, em jogo disputado no Estádio Cidade de Coimbra, depois de ter estado a perder (1-0) até aos 92 minutos!

Foi daqueles jogos “impróprios para cardíacos”, aliás como já tinham sido entre estas duas equipas os da temporada anterior.

Com uma entrada forte e determinada, o Braga chegou à vantagem aos 12 minutos pela espanhola Pauleta, após um livre cobrado por Dolores Silva. O cabeceamento não deu hipóteses de defesa à guardiã Patrícia Morais.

O Sporting tentou responder, mas a bola teimava em não entrar, apesar de se criarem algumas boas oportunidades. O Braga tam,bém foi criando algum perigo, mas o que é certo é que o marcador se manteve inalterado até aos instantes finais, em que a ‘talismã’ Ana Capeta, que subiu ao relvado aos 81 minutos, deu um ar da sua graça. A jovem não só carimbou um empate dramático aos 92 minutos com um remate certeiro, após uma série de ressaltos na área contrária, como ainda terminou com as incertezas com mais 2 golos no prolongamento. Primeiro aos 102 minutos, após uma jogada individual de Ana Borges, em que só teve de atirar para o fundo das redes, e, por fim, aos 118, momento em que correspondeu da melhor maneira a mais uma grande arrancada de Ana Borges numa jogada fantástica, de longe a melhor do encontro.

No final de contas, um hat-trick memorável para a jovem de 19 anos, que já na última temporada havia marcado o golo da vitória na final da Taça de Portugal, e mais uma Supertaça para o Museu Sporting.

A equipa: Patrícia Morais; Matilde Fidalgo, Mariana Azevedo, Carole Costa e João Marchão (Ana Capeta 82); Carlyn Baldwin (Solange Carvalhas 66); Tatiana Pinto e Fátima Pinto; Ana Borges, Diana Silva e Ana Leite (Nadine Cordeiro 106).

Pouco tempo depois dos inúmeros festejos das sportinguistas, o técnico Nuno Cristóvão fez a sua análise ao duelo: “A Ana Capeta é mais uma jogadora, faz parte de um grupo de trabalho. Esteve 5 semanas parada e fez 2 treinos connosco. Sinceramente, ponderei se a convocaria ou não. Mas é o ‘efeito Capeta’ junto dos sócios, da equipa, e foi feliz (…) Nem entrámos mal no jogo mas depois do golo desconjuntámo-nos um pouco e tentámos retificar na 2ª parte. Já no decorrer dos 90 minutos tivemos oportunidades para fazer o empate mais cedo, depois, vencemos no prolongamento e penso que o Sporting CP é um justo vencedor.

A heroína da tarde, Ana Capeta, afirmou: “A receita é acreditar até ao fim, dar motivos a quem confia em nós, honrando esta camisola até morrer. O Sporting CP é o nosso grande amor!”, rematou, com um sorriso rasgado.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário