A 1ª Taça da Liga em Futebol para o nosso Museu!

26 de Janeiro de 2018. Final da Taça da Liga, com o patrocínio dos CTT. Em Braga o Sporting (depois de ter eliminado o Porto nos penaltis) defrontou o Vitória de Setúbal (orientado por José Couceiro) que tinha eliminado a Oliveirense (2-0).

Perante perto de 25.000 pessoas, com uma maioria clara de sportinguistas, esperava-se que o Sporting se impusesse com a naturalidade que a sua supremacia impunha, mas não foi bem assim.

Jorge Jesus fez alinhar a seguinte equipa: Rui Patrício; Piccini, Coates, Matthieu e Fábio Coentrão; William Carvalho; Rúben Ribeiro (Batttaglia) 46, Bruno Fernandes e Bryan Ruiz (Acuña 46); Fredy Montero (Doumbia 64) e Bas Dost.

O Vitória entrou desinibido e marcou logo aos 4 minutos num belo lance de Gonçalo Paciência (que venceu a oposição de Coates e atirou junto ao poste sem hipóteses para Rui Patrício). O golo, inesperado, mexeu com o Sporting, mas pela negativa. Logo a seguir Rui Patrício negou o 2º a João Teixeira. Aos 22 Costinha solicitou Pedro Pinto que atirou a rasar o poste!… Até ao intervalo o Sporting não conseguiu criar uma verdadeira situação de golo e o descanso chegou com a vantagem mínima dos setubalenses após uma 1ª parte confrangedora dos leões…

Para a 2ª parte Battaglia e Acuña entraram na equipa. Bruno Fernandes passou para a direita. O Sporting deu logo claras indicações de melhoria. No entanto, aos 50 minutos, Costinha em excelente posição atirou ao lado, naquele que foi uma espécie de “canto do cisne” dos sadinos.

Aos 54 minutos Bruno Fernandes centrou, os adversários não aliviaram e Coates, com tudo para marcar, atirou por cima… Aos 64 Doumbia entrou para o lugar de Montero (ainda muito fora de forma) e o Sporting melhorou ainda mais. Aos 75 minutos Bas Dost (grande partida”) isolou Doumbia, mas o marfinense foi pouco hábil a dominar a bola e a oportunidade perdeu-se. Logo a seguir bom cruzamento de Mathieu (belo jogo, também), mas Bas Dost não conseguiu emendar para a baliza. Aos 76 lance incrível com Trigueira a salvar os remates de Coentrão e Bas Dost (parecia “tiro ao boneco”), mas à 3ª foi Podstawski a defender com o braço (incrivelmente não viu o cartão vermelho)! O lance foi muito rápido, o árbitro Rui Costa recorreu ao VAR e só 4 minutos depois se decidiu pela marcação do evidente penalty – Bas Dost apontou com a competência habitual e fez o 1-1.

Até final o Vitória tentou por todos os meios retardar o jogo para ir aos penaltis. Aos 82 “bomba” de Bruno Fernandes para grande defesa de Trigueira. Aos 90 canto para o Vitória e aflição na área leonina, mas ninguém apareceu para a emenda. Finalmente, já nos descontos, Bruno Fernandes teve tempo para parar no peito e estourar para a baliza, a rasar o poste. Haveria que decidir tudo nos penaltis, surpreendentemente e mais uma vez…

No desempate o Sporting foi muito competente. Bas Dost, Bruno Fernandes, Mathieu, Coates e William Carvalho não vacilaram, enquanto Podstawski, no 3º pontapé, atirou à trave. Estava consumada a conquista leonina depois de muito sofrimento, muitas dúvidas e perante grande contentamento de todo o staff e dos adeptos que quase encheram a “Pedreira”. À 11ª edição, o Sporting conquistou finalmente a prova, conhecendo agora o doce sabor do triunfo em todas as competições nacionais.

Jorge Jesus afirmou no final: “Estas finais são importantes para os clubes criarem identidade e cultura de campeão. O Sporting está a transformar a esperança. Este é o meu 3º ano, já ganhei 2 títulos. Claro que o mais importante é o campeonato. Mas o Sporting estava muito longe do que eram os dois rivais. Por isso é que o FC Porto e o Benfica saíram vencedores ao longo destes anos todos. O Sporting está a começar a dar os seus passos e já está a disputar títulos (…) O Vitória entrou com um processo estratégico de anular a nossa primeira fase de construção. No jogo dividido os jogadores do Vitória foram muito mais agressivos, intensos, fortes nos duelos e isso tirou-nos bola. Ainda por cima, aos 4 minutos fazem um golo. O Gonçalo fez mais uma vez um excelente jogo. O miúdo está a crescer muito: vai ser um grande ponta de lança no futebol português. Para a idade dele, é muito esperto a jogar. Ele sabe quando tem de meter o corpo e quando tem de desequilibrar os jogadores que estão a marcá-lo em cima. Ao intervalo tirei 2 jogadores e mudámos a nossa dinâmica. Os jogadores do Vitória já não conseguiram pressionar tanto na 2ª parte. Perderam essa intensidade. E o Sporting é melhor equipa e tem melhores executantes. Fizemos um golo de grande penalidade e não entendo como é que o árbitro indo ver ao VAR não expulsa um jogador que faz de 2º guarda-redes. Tanto tempo para ver isto. Não dá para entender. Mas eu também acho que este árbitro não tem grande jeito para isto (…) Não treinei grandes penalidades para meia-final e final. Trabalho muito bola parada e grandes penalidades. Sei num leque de 5, 6 jogadores quem são os melhores a marcar as grandes penalidades”.

O presidente Bruno de Carvalho: “É o nosso 1º título, tínhamos 4 objetivos, vencemos o 1º num um jogo difícil, tivemos que dar tudo e ir até aos penáltis, mas os sportinguistas merecem, por toda a sua paixão, por todo o seu apoio e por tudo aquilo que representam para o clube. Estamos extremamente felizes, que esta seja a primeira alegria de várias (…) Toda a gente sabe qual é o nosso objetivo principal, o campeonato nacional, mas foi importante vencer esta competição, o meu obrigado aos sportinguistas, têm sofrido bastante com toda esta instabilidade e contrainformação, mantiveram-se unidos e coesos, como eu disse. Vamos continuar com a nossa atitude e compromisso para honrar sempre esta camisola. Este não era o objetivo da época, era um dos objetivos. Vamos ganhando um a um, isso é bom. Já estamos a pensar no jogo de quarta-feira”.

vídeo

Post to Twitter

Deixe o seu comentário