Zé Mário

José Mário Soares nasceu a 20 de Fevereiro de 1940. Iniciou-se no Sporting no dia 1 de Janeiro de 1952, no campo do Passadiço (sede do clube).

A história da sua chegada ao clube é curiosa. Jogava Voleibol no liceu e o seu pai, como sportinguista que era, inscreveu-o em Alvalade. Quando se apresentou estranhou não ver a rede de Volei no campo e só soube que o treino era de Basquetebol quando entrou no vestuário. Não recusou a sessão, já que estava ali foi experimentar, gostou e ficou, vindo a tornar-se um dos melhores atletas da modalidade por muitos anos na posição de ala ou extremo (e pontualmente como poste). Destacava-se por ser excelente nos ressaltos, sobretudo nos defensivos. Distinguia-se ainda pela sua conduta sempre correta e pelo grande espírito desportivo.

Segundo as suas próprias palavras, todo o seu percurso de jogador ficou marcado pelo prof. Mário Lemos – prática desportiva sim, mas com correção e com muitas chamadas de atenção para a persistência da aprendizagem dos movimentos técnicos. A repetição dos movimentos técnicos era constantemente transportada para a prática em situações de jogo.

Esteve no Sporting de 1952 a 1965 e depois em 1968 e 1969, o que totalizou 15 anos. Nesse período, para além de títulos nas camadas jovens, foi por 3 vezes campeão nacional, acumulando também vários outros títulos regionais. Desportivamente, os colegas que mais o marcaram foram Hermínio Barreto e Abílio Ascenso. Movimentos técnicos, atitudes e reações foram objecto de fixação e de correção.

Por motivos profissionais mudou-se mais tarde para Angola, país onde viria a acabar a sua magnífica carreira enquanto jogador depois de duas épocas, uma no Clube Ferroviário e outra no CDUA.

Numa contagem não oficial, participou em 20 jogos com as cores da selecção nacional, 9 dos quais em encontros para provas oficiais.

A sua carreira de treinador foi praticamente exclusiva no Sporting, como treinador das equipas jovens. Quando interrompeu a sua presença no clube aceitou um convite do Ateneu Comercial de Lisboa. Aceitou  e nesse ano conquistou o Regional da 2ª divisão. Na época seguinte regressou ao Sporting.

Foi o responsável pela criação dos primeiros 3 centros de formação no Sporting, pois no ano em que voltou ao clube como jogador (1968)  aceitou ficar como técnico coordenador das escolas de jogadores. Foram então criados 3 centros de formação. O objetivo foi aproveitar a disponibilidade dos ginásios que o Sporting alugava para treinos do Basquetebol e fomentar a prática da modalidade via escola ou bairro. A divulgação aos jovens e pais era feita por via do jornal “Sporting” e nos quadros de informativos das respetivas escolas. Curiosamente, um dos seus pupilos chegou a ser Pedro Santana Lopes, que mais tarde viria a ser presidente do Sporting.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário