Colchoneros perderam e sofreram no Alvalade, mas acabaram salvos por Oblak

12 de Abril de 2018. Quartos-de-final da Liga Europa. 2ª mão. Uma semana depois da derrota por 2-0 em Madrid e de todos os caos instalado após isso (declarações do presidente Bruno de Carvalho no Facebook criticando os seus jogadores em alguns lances geraram quase um tumulto – e foram o princípio do fim da sua presidência), o Sporting recebia os madrilenos com a ilusão de poder recuperar da desvantagem proporcionando uma noite memorável.

Não esteve muito longe de se concretizar o sonho. Jorge Jesus montou uma equipa com 3 defesas que ganhou claramente o meio-campo no 1º tempo. Os leões criaram várias oportunidades de golo, marcaram por uma vez (Fredy Montero) e obrigaram Oblak a diversas defesas de categoria. O intervalo chegou com a vantagem magra, algo que se verificou, seria decisivo para o desfecho da eliminatória.

No 2º tempo o Sporting foi menos autoritário. Quem esperava uma entrada poderosa buscando empatar a eliminatória enganou-se. Por razões físicas, técnicas ou táticas, o Sporting não foi capaz disso, mas a verdade é que ainda assim os leões foram também fortes no 2º tempo e voltaram a ter uma ou outra oportunidade para marcar. Do outro lado Griezmann esteve por duas vezes isolado perante Rui Patrício, mas uma defesa do nosso capitão e um remate ao lado (perante a mancha de Patrício) não possibilitaram ao francês o golo.

O final chegou com um insuficiente 1-0 após uma exibição de bom nível do Sporting perante um adversário que era na altura uma das equipas mais competitivas da Europa. Individualmente praticamente toda a equipa esteve em bom plano, destacando-se os incansáveis Battaglia e Acuña, bem como Rui Patrício e o preponderante Bruno Fernandes (o melhor sportinguista em campo).

Se formos a fazer um balanço geral da eliminatória, o Sporting teve mais posse de bola, muito maior domínio territorial, mais oportunidades de golo, mas também maior ingenuidade… Por isso ficámos fora…

A equipa: Rui Patrício; André Pinto, Coates e Mathieu (Petrovic 26); Battaglia; Ristovski (Doumbia 80), Bryan Ruiz (Rúben Ribeiro 70) e Acuña; Gelson Martins e Bruno Fernandes; Fredy Montero.

vídeo

Post to Twitter

Deixe o seu comentário