Diego – Craque do “país do tango”

Diego Arizaga nasceu a 21 de Fevereiro de 1936 na Argentina. Chegou ao Sporting no defeso de 1958 proveniente nos Estudiantes de la Plata, tendo-se estreado oficialmente (com 1 golo) numa receção ao Sp. Braga (3-4) a 21 de Setembro de 1958 (era Enrique Fernández o técnico leonino). Vasques já ía nos 32 anos, por isso o atacante argentino ganhou a titularidade, sendo o jogador mais utilizado da época como interior-direito. Fez 23 jogos e marcou 10 golos nessa 1ª época, adaptando-se com relativa facilidade e provando ter sido uma boa aposta.

Em 1959/60 o Sporting teve 3 treinadores – Fernando Vaz, Mário Imbelloni e Alfredo González, e qualquer um deles apostou forte em Diego. Os leões estiveram perto da glória, classificando-se em 2º no Campeonato e perdendo a final da Taça de Portugal. O argentino realizou uma época notável (agora como interior-esquerdo) fazendo 20 golos em 28 jogos. O quinteto atacante dos leões nessa época ficou célebre, sendo constituído por Hugo, Faustino, Fernando, Diego e Seminário. Este conjunto proporcionou aos sportinguistas muitos jogos de grande espetáculo e só por uma daquelas vicissitudes da vida não conseguiu qualquer conquista de monta.

No ano seguinte chegou Géo, e o brasileiro ganhou a titularidade. Ainda assim Diego foi bastante utilizado e voltou a mostrar ”veia goleadora” ao fazer 13 golos em 16 jogos. O que corria mesmo mal era o aspeto coletivo. Após o  seu 3º ano em Alvalade o argentino continuava sem nada ganhar, mas as coisas iriam sofrer uma reviravolta logo no ano seguinte.

Em 1961/62, com Otto Glória numa 1ª fase e Juca durante quase toda a temporada, Diego foi inteligentemente colocado como avançado-centro. A sua capacidade de finalização era magnífica e soava a desperdício colocá-lo numa posição do terreno algo afastada das balizas adversárias. O argentino, como sempre correspondeu, dando um importante contributo para a conquista pelos leões do seu 11º título nacional. No final da temporada acabou por sair para Itália onde foi alinhar no Palermo.

Marcou o último golo “de leão ao peito” a 20 de Maio de 1962 numa vitória em Coimbra por 3-0.  O último jogo realizou-o a 27 de Maio de 1962 na vitória frente ao Benfica (3-1) que garantiu a conquista do título – melhor despedida era impossível! Nesta derradeira temporada foi o melhor marcador do clube (a par de Morais) com 19 golos.

No total esteve 4 épocas no Sporting. Alinhou em 91 jogos oficiais e marcou 62 golos. Ganhou 1 Campeonato Nacional e deixou excelente impressão, ótimas recordações e muitas saudades entre os sportinguistas que tiveram o privilégio de o ver atuar.

GOLOS de DIEGO no SPORTING
ÉPOCA TC CN TP TOTAL
1958/59 0 5 5 10
1959/60 - 16 4 20
1960/61 - 6 7 13
1961/62 0 17 2 19
Total 0 44 18 62

Post to Twitter

Deixe o seu comentário