8ª Supertaça para o Futsal com goleada ao Fabril

8 de Setembro de 2018. Loulé, Supertaça de Futsal. Perante o Fabril do Barreiro, o
Sporting esteve em grande nível, vencendo por 11-0 e conquistando pela 8ª vez este troféu.
O Sporting alinhou com: Gonçalo Portugal; Leo, Pedro Cary, Cavinato e Melim. Contou ainda com André Sousa, Bernardo Paçó, Erick Mendonça, João Matos, Varela, Pany Varela, Dani, Cardinal e Dieguinho.
Os comandados de Nuno Dias entraram com vontade de resolver cedo a questão. Cavinato inaugurou o marcador logo aos 3 minutos, depois de uma assistência de Léo. O 2º foi uma “bomba” de Dieguinho aos 5 minutos. Logo a seguir Pany Varela (assistido por Varela) fez 3-0. Aos 7 Dieguinho bisou.
O“mago” Merlim marcou aos 9 e 10 minutos, ao intervalo já eram 6-0!
Cavinato voltou a fazer das dele e apontou, novamente, o primeiro tento da etapa complementar (28 minutos). Especial atenção também para o 8º golo da tarde, que teve como marcador Dani (30), neste que foi o seu 1º golo numa competição oficial pela equipa sénior leonina. O 9º foi de Merlim, que fechou as contas pessoais ao assinar um total de 3 tentos.
Para terminar em beleza, Pany bisou (39) e Pedro Cary foi último a gritar “golo” com todos os sportinguistas que se deslocaram até Loulé.
No final Nuno Dias estava obviamente satisfeito: “Mais importante é continuarmos a engradecer e a enriquecer o nosso Museu com títulos”.
São 35 títulos leoninos, 18 com o “dedo” do atual treinador. 8 Supertaças, metade também do míster, o que faz com que seja o comandante de mais de metade das conquistas do Futsal verde e branco. Satisfeito e consciente, Nuno Dias sublinhou que “os números apenas foram conseguidos graças ao trabalho de muita gente que passou pela modalidade. São de muita gente que trabalha comigo e que conseguiu este troféu, assim como eu. Vários foram os lotes de jogadores e de pessoas que tornaram possíveis estes registos. Hoje foi mais um e é sempre importante começar da melhor maneira, sobretudo quando a Supertaça é um dos nossos objectivos (…) Foi dentro do que perspetivámos. A história das falsas modéstias, do 50/50 e de que tudo pode acontecer, toda a gente sabe que é assim, mas a probabilidade de isso acontecer é pequena. Os nossos jogadores são claramente de um nível e de um patamar superior (…) O nosso papel passa por encarar todos os jogos da mesma forma. O resultado espelha isso e que apesar do aglomerar do resultado fizemos sempre as coisas certas. Não deixámos o jogo fluir para o contra-ataque nem relaxámos no marcador. Os jogadores estão de parabéns pelo título e pelo profissionalismo que demonstraram”.
Este é presságio para uma temporada em que o Futsal do Sporting CP tem tudo para muitas conquistas!

Post to Twitter

Deixe o seu comentário