Toñito – Um verdadeiro “Speedy González”

António Jesus García González nasceu a 24 de Fevereiro de 1977 em Tenerife. Conhecido no “mundo da bola” por Toñito, estava no Tenerife B quando despertou o interesse do Vitória de Setúbal (de Manuel Fernandes). Na equipa sadina logo se destacou pela sua velocidade e polivalência até chegar ao Sporting – após acesa disputa com o FC Porto, no Verão de 1999.

Estreou-se oficialmente (pela mão de Giuseppe Materazzi) a 20 de Agosto de 1999, nos Açores, frente ao Santa Clara (2-2). Pouco tempo depois chegou Augusto Inácio ao comando técnico da equipa e Toñito teve um percurso curioso. Quase em todos os jogos entrava por volta dos 60 minutos para o lugar de Pedro Barbosa (na posição 10). Nessa altura a sua velocidade e “alegria de jogar” ajudavam enormemente o Sporting na fase decisiva das partidas. Acumulou 35 presenças nessa época de festa para os leões e marcou 1 golo, o seu 1º pelo clube, a 9 de Fevereiro de 2000 na receção ao Dragões Sandinenses para a Taça de Portugal (3-0).

Na temporada seguinte continuou a mostrar talento. Era um futebolista com muito boa técnica e rapidíssimo, mas por vezes dava a ideia de lhe faltar alguma “fibra”. Ajudou a ganhar a Supertaça mas acabou emprestado para o Santa Clara onde fez uma bela temporada, regressando a Alvalade para 2002/03. Aí, com Laszlo Bölöni, voltou a ser muito útil, tendo ganho a Supertaça e assumindo-se como uma das figuras da equipa. Vangloria-se de ter feito o passe para o 1º golo oficial de Cristiano Ronaldo – foi num Sporting-Moreirense a 7 de Outubro de 2002, e valha a verdade que o “melhor jogador do mundo” ainda teve de fazer uma jogada individual magistral para marcar após o passe do espanhol!

2003/04 (com Fernando Santos) foi a sua última época no Sporting, e nada o fazia crer no início da mesma pois começou com belas exibições e golos. De súbito, sem grande explicação plausível, começou a “desaparecer” da equipa por motivos que não “transpiraram” para o exterior. Marcou pela última vez a 14 de Setembro de 2003 num Sporting-Nacional da Madeira (2-0). A sua derradeira aparição pela equipa leonina aconteceu num jogo “trágico” em Vila do Conde a 20 de Março de 2004 (0-4).

No total esteve 4 épocas no Sporting, tendo realizado 112 jogos oficiais e marcado 13 golos. Ganhou 1 Campeonato Nacional e duas Supertaças.

Após a sua saída do Sporting nunca mais voltou a ser o bom jogador que todos conheciam percorrendo vários clubes (Boavista, Tenerife, Rijeka, União de Leiria, Ionikos e AEL Larnaca) sem grande sucesso.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário