Gonçalves – Método e organização no “miolo” do terreno

Vítor Manuel Almeida Gonçalves nasceu a 25 de Fevereiro de 1944 em Lisboa. Começou a jogar futebol no Stª Catarina, nas camadas jovens. Como sénior esteve no Linda-a-Pastora de onde transitou para o Atlético CP. 1 ano na Tapadinha bastou para despertar o interesse do Sporting que o contratou no Verão de 1966.

Sob o comando de Fernando Argila estreou-se oficialmente a 18 de Setembro de 1966 num Sporting-Sp. Braga (0-0) para a 1ª jornada do Campeonato Nacional. Logo nessa 1ª época de verde e branco foi muito utilizado (no meio-campo) acumulando 21 presenças e 2 golos. Marcou o 1º golo numa receção ao Benfica (1-1) a 26 de Fevereiro de 1967. Na época seguinte voltou a ser o “pilar” do meio-campo sportinguista (agora com Fernando Caiado), tendo como ponto alto o golo que derrotou o FC Porto nas Antas a 31 de Março de 1968.

Assim se manteve nas temporadas que se seguiram, como titular e pedra fulcral da equipa. Conseguiu chegar a campeão em 1969/70 após mais um grande desempenho – com 38 jogos e 6 golos sob a orientação de Fernando Vaz. No ano seguinte ganhou a Taça de Portugal e em 1971/72, apesar de utilizado com alguma frequência (23 jogos), já não constituiu 1ª escolha na hora de Fernando Vaz (primeiro) e Mário Lino (depois) delinearem o “onze inicial”. A 25 de Setembro de 1971 fez o seu último golo num triunfo por 2-0 perante o Atlético CP para o Campeonato. 1972/73 foi a sua última temporada no Sporting (que voltou a ganhar a Taça de Portugal), tendo realizado apenas 2 jogos. Alinhou pela última vez a 4 de Fevereiro de 1973 numa derrota frente ao Atlético CP por 1-0.

Esteve um total de 7 épocas no Sporting, registando 173 presenças em jogos oficiais e 17 golos marcados. Ganhou 1 Campeonato Nacional e duas Taças de Portugal. Deixou a imagem de um médio com boas capacidades defensivas e de organização. Para além disso não desdenhava integrar-se no ataque e chegou a fazer golos importantes. Foi duas vezes internacional A.

Após abandonar o futebol foi treinador durante alguns anos, mas nessa função nunca se conseguiu destacar tanto como enquanto futebolista.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário