Na final da Taça “às costas” de Bruno Fernandes

3 de Abril de 2019. 2ª mão das meias-finais da Taça de Portugal. No Alvalade o Sporting recebia o Benfica depois de ter estado quase “morto” na 1ª mão na Luz (esteve a perder por 2-0) e de ter sido resgatado à vida num livre-direto fabuloso de Bruno Fernandes.

Em desvantagem por 2-1 “bastava” aos leões o triunfo por 1-0 para “carimbar” o acesso à final da Taça. A missão era possível mas muito difícil. O Benfica (orientado por Rui Lage) atravessava um excelente momento e não há muito tempo tinha ganho claramente no Alvalade para o Campeonato (4-2)…

As declarações que antecederam a partida deram a entender um Sporting confiante. Ao contrário do que diria qualquer treinador daqueles a que estamos habituados, Marcel Kaiser (apesar da desvantagem) afirmou que as hipóteses eram 50 x 50. Os futebolistas do Sporting pareciam imbuídos dum espírito otimista e positivo.

Apesar de não estar cheio o Estádio Alvalade estava em “ebulição” com um grande ambiente (que, aliás, as claques tinham prometido antes do jogo). Marcel Kaiser apresentou a seguinte equipa: Renan); Coates, Mathieu e Borja (Diaby 74); Bruno Gaspar (Tiago Ilori 71), Gudelj, Wendel (Doumbia 88) e Acunã; Bruno Fernandes; Raphinha e Luiz Phellype.

O Sporting entrou da melhor maneira possível no jogo. Pressionando alto, encostando o Benfica lá atrás (o que surpreendeu toda a gente). Era difícil entrar na zona de concretização, mas os pontapés de canto surgiam e os remate de fora (com algum  perigo) também – Gudelj, Bruno Gaspar, Wendel…

Bruno Fernandes, como habitualmente, levava a equipa “às costas” e contagiava os companheiros. Naturalmente o Benfica foi-se recompondo a pouco a pouco e tentando equilibrar. Aos 30 minutos, tiraço de Luiz Phellype para defesa instintiva de Svilar. Quase no intervalo Borja foi decisivo ao conseguir um pequeno desvio de cabeça evitando que um passe magnífico de João Felix chegasse em condições a Seferovic.

Na 2ª parte a toada do jogo manteve-se. O Sporting sempre superior, sempre criando mais jogo ofensivo, rematando mais. Ainda assim, logo no início, o Benfica teve uma grande oportunidade pois Seferovic surgiu isolado (após grande passe de Pizzi) mas rematou muito torto. Aos 49 minutos, reposta “à letra” do Sporting, com Bruno Fernandes a enviar um “míssil” à trave… Aos 51 foi Raphinha a surgir em boa posição mas a rematar muito mal.

O Sporting pressionava, mas o Benfica voltou a criar perigo aos 70 minutos. Pizzi assistiu Jonas, que em posição frontal rematou muito mal, por cima. Aos 73, remate forte de Gudelj e a bola a bater no braço de Rúben Dias (não pareceu falta). Aos 73 Bruno Fernandes recebeu a bola sobre a direita, passou por Grimaldo e rematou de forma fantástica (de pé esquerdo) batendo Svilar! estava feito o 1-0! o Sporting estava à frente da eliminatória!

Até final Seferovic ainda surgiu em boa posição, atirando de cabeça ao lado, e o Sporting ainda criou muito perigo (mas definiu mal) em duas saídas rápidas.

A partida terminou em festa para as nossas cores. Após uma “batalha” tremenda a nossa equipa conseguiu levar a melhor, mais uma vez muito por mérito de Bruno Fernandes (estava em todo o lado, fazia de tudo – e bem, um verdadeiro portento!). Acuña também esteve em muito bom plano (com “pilhas” que nunca se esgotavam). De resto, toda a equipa mostrou uma garra e um querer impressionantes, e quando assim é as coisas tornavam-se mais viáveis.

Agora viria a final, em 25 de Maio, frente a um (também) muito forte FC Porto, a quem o Sporting já derrotara nesta temporada (por penaltis) na final da Taça da Liga!

vídeo

Post to Twitter

Deixe o seu comentário