A grande exibição no Campeonato de 2009/10

28 de Fevereiro de 2010. Com Carlos Carvalhal no comando técnico da equipa, Costinha chegado há poucos dias para liderar o departamento de Futebol e 3 dias depois duma excelente exibição e resultado a condizer (3-0) que eliminaram o Everton da Liga Europa, o Sporting recebia um FC Porto que não podia perder pontos em Alvalade sob pena de dizer um adeus definitivo ao título e mesmo à pré-eliminatória da Liga dos Campeões (Benfica e Sp. Braga já levavam um avanço significativo). Sobre este jogo pairava também um outro entre as duas equipas, no Dragão, 26 dias antes, no qual os portistas tinham ganho por 5-2…

A equipa: Rui Patrício; Abel, Tonel, Daniel Carriço (Anderson Polga) e Grimi; Pedro Mendes; Izmailov (João Pereira), João Moutinho e Miguel Veloso (Adrien Silva); Yannick Djaló e Liedson.

Há muito que os adeptos leoninos não sorriam assim. Tal como sucedera com o Everton, o Sporting foi agressivo, rigoroso e bem sucedido. Logo aos 6 minutos um cruzamento de João Moutinho foi mal cortado por Rolando. A bola sobrou para Yannick Djaló e este bateu Helton na 1ª oportunidade. 5 minutos depois só uma excelente intervenção de Helton negou o 2º a Liedson.

Entretanto a defesa e meio-campo defensivo do Sporting funcionavam na perfeição, não dando veleidades ao ataque azul e branco. Praticamente “em cima” do intervalo Izmailov aumentou a parada. Um cruzamento de Grimi da esquerda à procura de Liedson foi mal aliviado por Bruno Alves e a bola sobrou para o russo que não perdoou.

O intervalo chegou com 2-0 e os portistas ainda não tinham perdido as esperanças, mas logo no início do 2º tempo Liedson entrou pela direita, rematou com estrondo ao poste, a bola sobrou para Miguel Veloso, que, sem oposição, veio de trás e encheu o pé para o 3 º dos leões – um golo magnífico de excelente execução. Até ao final nada de muito significativo aconteceu com as jogadas de perigo a escassearem. O Sporting preocupou-se em “guardar” a vantagem e nunca passou por grandes sobressaltos naquela que foi, indiscutivelmente, a sua grande exibição no Campeonato de 2009/10.

Carvalhal ficou obviamente satisfeito: “Foi uma exibição em continuidade com o jogo com o Everton, boa, agressiva e com bom futebol. Estamos satisfeitos e vamos em frente porque o Campeonato não acaba aqui. Como é público o caminho teve muitas vicissitudes, é preciso ter pulso firme, coragem, e por isso temos de lidar no dia-a-dia a pensar no próximo objetivo”.

video

Post to Twitter

Deixe o seu comentário