Leões “depenaram” águias pela 3ª vez consecutiva na Taça de Portugal

5 de Março de 1978. Pelo 3º ano consecutivo Sporting e Benfica encontraram-se em Alvalade para a Taça de Portugal, e mais uma vez os leões levaram a melhor.

O Sporting estava a fazer um Campeonato abaixo do esperado (apesar do seu excelente conjunto de jogadores, sobretudo no ataque) e jogava-se aqui muito da temporada leonina. Entretanto Jordão partira uma perna no Benfica-Sporting para o Campeonato Nacional, que afastara os sportinguista do título mercê da derrota por 1-0.

Os leões estavam por isso algo fragilizados, mas neste dia, com Alvalade a registar a presença de 40.000 pessoas (que fizeram entrar cerca de 1.000 contos para os cofres de cada clube) numa magnífica tarde de sol, a turma leonina precisava a todo o custo de afastar o seu rival dos quartos-de-final da Taça, pois essa era a única competição na qual os leões ainda poderiam triunfar.

Sob o comando de Rodrigues Dias o Sporting alinhou com: Botelho; Artur, Laranjeira, Menezes e Inácio; Barão (Ademar – que se estreou), Manaca e Aílton; Manuel Fernandes, Manoel e Keita (Freire).

O Sporting entrou na partida (e assim se manteve ao longo dos 90 minutos) com uma excelente atitude. A velocidade empregue nas deambulações atacantes era impressionante, pelo que foi com naturalidade que abriu o marcador logo aos 10 minutos. Laranjeira centrou por alto da direita, Keita cabeceou da meia esquerda, e, para não deixar dúvidas a ninguém Manuel Fernandes confirmou o golo que já parecia certo.

Apesar do tento leonino a partida continuou na mesma toada. Os benfiquistas não tinham força para reagir, e 25 minutos depois os verde e brancos cimentaram a vantagem num remate de ressaca de Manuel Fernandes, sem preparação, após um mau despacho de Alberto.

O intervalo chegou com 2-0 que talvez pecasse por escasso, mas o Sporting alargou ainda mais a sua vantagem aos 55 minutos. A jogada começou num passe em profundidade para Manoel, que dominando bem tocou para Keita que disparou um “tiro” fulminante. A bola ainda bateu no poste mas resvalou como uma flecha para as redes.

Só então os encarnados mostraram alguma capacidade de reação beneficiando também da desaceleração leonina. A 8 minutos do fim conseguiram amenizar a derrota com uma boa cabeçada de Humberto Coelho a passe de Toni.

Em suma, vitória clara do Sporting tanto nos números como na diferença do futebol produzido perante um adversário que nunca chegou a incomodar verdadeiramente. Keita (foto de arquivo) e Manuel Fernandes foram as grandes figuras da equipa, conseguindo desbaratar por completo a defensiva contrária. O guardião Botelho esteve muito bem no pouco que teve de fazer.

O treinador do Sporting, professor Rodrigues Dias, afirmou no final: “Foi um excelente jogo de Taça. O 3-1 está certo embora o Sporting merecesse mais um golo. Felicito os jogadores pela forma digna como se comportaram demonstrando o seu alto espírito profissional. A forma como o Sporting jogou, a sua dinâmica e o seu ritmo, tudo foi intencional. O objetivo da equipa foi conseguido, ultrapassou-se a eliminatória. Parabéns a todos!”. O caminho para a final (que o Sporting viria a vencer) começava a desbravar-se.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário