Futsal – Sporting-4 FC Barcelona-3 – Somos Campeões europeus pela 2ª vez!

3 de Maio de 2021. A equipa de Futsal do Sporting CP conquistou nesta segunda-feira, a UEFA Futsal Champions League ao vencer na final o FC Barcelona por 4-3 em Zadar, na Croácia (antes os leões tinham batido o MKF KPRF – campeão da Rússia por 3-2 – Cavinato (2) e Rocha, e o Inter FS – campeão de Espanha, por 5-2 – Cavinato, Guitta, Taynan, Pany Varela e Erick Mendonça)

Foi a 2ª vez que o conjunto de Nuno Dias amealhou o troféu – depois de 2018/2019. Esta foi a 4ª final do Sporting CP nas últimas 5 temporadas e o 3º embate com o FC Barcelona na competição – nas duas vezes anteriores, os catalães levaram a melhor.

Nuno Dias apostou para esta grande final em Guitta, na baliza, João Matos, Erick Mendonça, Alex Merlim e Pauleta. Também fizeram parte da equipa Gonçalo Portugal, Bernardo Paçó, Tomás Paçó, Mamadu Turé, Tayan, Diego Cavinato, Pany Varela, Zicky Té e Rocha.

O início não correu bem ao Sporting CP. Logo no 1º minuto, o FC Barcelona inaugurou o marcador quando Marsênio, num forte remate frontal, bateu Guitta. Os nossos não baixaram os braços e procuraram chegar ao empate. Erick Mendonça atirou por cima e Alex Merlim viu, por duas vezes, o guarda-redes Didac Plana defender as suas tentativas com intervenções de qualidade. Do outro lado, Guitta impediu aquilo que parecia ser um golo certo a Adolfo, que tinha tempo e espaço para finalizar com sucesso, mas o guardião brasileiro esteve ao seu nível. A seguir foi Esquerdinha a fazer com que o FC Barcelona ficasse, mais uma vez, perto do golo – nacara de Guitta, o atleta dos catalães acertou no poste e, na recarga, André Coelho atirou ligeiramente ao lado. Taynan reagiu e teve nos pés uma boa oportunidade, mas agora foi Didac Plana a defender bem.

O duelo estava intenso e com investidas de parte a parte. Alex Merlim, para o Sporting CP, e Ferrão, para o FC Barcelona, não ficaram longe de faturar, e aos 12 minutos Esquerdinha atirou novamente ao poste – desta feita, no entanto, através de um cabeceamento que surpreendeu tudo e todos.

Didac Plana teimava em ser um obstáculo no caminho verde e branco e foi mais forte no frente-a-frente com Alex Merlim, Erick Mendonça e Zicky, que estava a dar muito trabalho aos adversários, enquanto o desafio seguia para o intervalo. perto do qual o FC Barcelona chegou ao 2-0 – contra-ataque e Ximbinha a não vacilar, dobrando a vantagem blaugrana. O Sporting CP estava mais rematador (26 tentativas contra 19), mas do outro lado apareceu uma equipa mais cirúrgica nos 20 minutos iniciais.

A 2ª parte começou e desde cedo se percebeu que o FC Barcelona havia baixado as suas linhas, ainda que isso também tenha acontecido por culpa do Sporting CP, que subiu as suas e não deixou o adversário ter bola. Isso não significou uma completa ausência do emblema culé do encontro, como se viu aos 25 minutos, quando Adolfo rematou, Guitta defendeu e a bola ainda bateu no poste.

Mas o Sporting CP voltou muito forte dos balneários e com grande vontade de dar a volta à situação negativa em que se encontrava. O primeiro passo nesse sentido foi conseguido aos 26 minutos – Alex Merlim viu o seu remate bloqueado e a bola sobrou para Tomás Paçó, que atraiu os jogadores do FC Barcelona e descobriu Zicky sozinho – o pivô de 19 anos, com tempo e espaço, finalizou para a baliza deserta e apontou o 2-1 que relançou os leões na partida.

Pouco depois, chegou o empate. Pany Varela cobrou a reposição de linha lateral para o coração da área, onde estava Erick Mendonça para cabecear para o fundo das redes – 2-2 e grande festa verde e branca por tudo voltar a estar em aberto. Um novo jogo começava em Zadar. Logo a seguir, Taynan ficou a centímetros do golo e Tomás Paçó, com um fortíssimo e colocado remate, só não faturou porque Didac Plana realizou uma tremenda intervenção.

Contudo, não foi preciso esperar muito. A 9 minutos do fim, Taynan cobrou um livre direto, Didac Plana defendeu para o poste e a bola caiu nos pés de João Matos, que só teve de encostar – 3-2, reviravolta conseguida e com 3 golos de 3 jogadores formados no Sporting CP. Uma epopeia épica com que muitos, certamente, sonharam.

Ainda faltava muito tempo e nada estava resolvido, mas a verdade é que era o grupo de Nuno Dias que estava por cima. O FC Barcelona não lidou bem com a entrada verde e branca na 2ª parte, mas viu-se obrigado a subir as linhas depois do 2-3, o que não impediu que o Sporting CP continuasse a criar oportunidades por intermédio de Diego Cavinato, Pany Varela e Erick Mendonça.

O FC Barcelona avançou com o 5×4, mas encontrou pela frente uma defesa muito forte. Tão forte que Erick Mendonça, aos 37 minutos, roubou a bola e rematou para a baliza vazia, mas acertou no poste. Na recarga, ainda assim, Pany Varela não falhou e fez o 4-2! De 0-2 para 4-2, o Sporting CP sabia que estava muito perto de recuperar o título continental.

O FC Barcelona ainda reduziu por Ferrão, a 2 minutos do fim, mas o 5×4 não causou mais mossa ao Sporting CP.

Assim que tocou a buzina final, com 4-3 para os leões, “rebentou” a festa leonina em Zadar. O capitão João Matos levantou o troféu pela 2ª vez! O Sporting CP volta a ser rei e senhor da Europa do Futsal e aumenta (ainda mais) um espólio já gigante no que ao palmarés internacional diz respeito. Tão grande como os maiores da Europa!

Depois das emoções fortes, Nuno Dias teceu rasgados elogios aos seus jogadores depois de ter dedicado o título às suas filhas e de ter agradecido a todos os treinadores da formação do Sporting CP que tiveram responsabilidade no crescimento de alguns destes jogadores: “O sentimento é de um orgulho enorme. Este grupo que veio à Croácia é a definição de equipa. Nunca tivemos nada assim (…) em 5 dias e 3 jogos venceram o campeão russo, o campeão espanhol e o campeão europeu”, levantando a 2ª UEFA Futsal Champions League do Clube – feito inédito em Portugal (…) ao intervalo senti que a equipa estava demasiado ansiosa e emocional e isso toldou-nos o raciocínio. Na 2ª parte corrigimos isso, não tivemos medo de jogar e de assumir o jogo. Acima de tudo foi acreditar e ter confiança na nossa qualidade (…) não consigo ter grandes adjectivos para a prestação e para estes jogadores (…) a estatística dizia que nesta “final eight” as equipas que começavam a vencer ganhavam os jogos e hoje quebrámos essa estatística (…) confesso que aquilo que trabalhámos foi para o 1º jogo, durante cerca de semana e meia. Dedicámos muito tempo à análise, mas daí para frente não sabíamos quem seria o adversário. Depois, para o Inter FS e o FC Barcelona tivemos apenas uma unidade de treino para alguns ajustes, bolas paradas e 5×4 (…) recebemos muitas mensagens e havia uma ligação e um reconhecimento muito grandes sobre aquilo que estávamos a fazer. Sentimos que havia uma conexão muito grande com os adeptos”.

João Matos também marcou presença na conferência de imprensa após a vitória e não poupou os elogios a toda a equipa de Futsal do Sporting CP: “É uma emoção indescritível, é um feito extraordinário. Se alguém disse que o Sporting CP seria tão grande como os maiores da Europa, hoje voltámos a ser os maiores da Europa. É um orgulho fazer parte deste grupo (…) na 2ª parte, acima de tudo, tivemos coragem, assumimos o jogo e a responsabilidade (…) ainda não estou em mim. Foi um trajeto extraordinário. Três jogos de superação, união e de equipa. Uma equipa unida foi a base do sucesso (…) é sentir muito o Sporting CP. Vestem a camisola como se fosse a pele deles, são miúdos que sentem esta camisola como ninguém e isso faz toda a diferença. O ‘clique’ do amor ajuda muito (…) eu estava no sítio certo à hora certa”

Post to Twitter

Deixe o seu comentário