2021 – 9ª Supertaça em Futebol com belo triunfo sobre o Braga

31 de Julho de 2021- Começou esta noite a época oficial da nossa equipa de futebol. Em Aveiro, com a novidade do regresso do público (mais de 7.000 pessoas), o Sporting (campeão nacional) defrontou o Braga (vencedor da Taça de Portugal) num confronto aguardado com grande expectativa.

O Sporting começou com mais posse de bola, mas sem grande progressão. O Braga conseguiu “amarrar” bem o jogo leonino nos primeiros minutos. Ainda assim, aos 7, Feddal atirou longo para Pote, que tentou assistir Paulinho, mas Matheus antecipou-se bem e segurou. Aos 16 Pote colocou de novo Matheus à prova, mas aos 20 Fransérgio marcou – passe em profundidade de Ricardo Horta e o brasileiro a enganar Inácio e a rematar colocadíssimo, sem hipóteses para Adán.

O golo adversário parece ter feito bem à nossa equipa, que se soltou claramente para o jogo e dominou todo o tempo restante da partida. Aos 29 minutos, grande passe longo de Nuno Mendes para Jovane que se esgueirou pela esquerda, e apesar de ter Paulinho completamente solto no meio optou por rematar batendo Matheus – era o 1-1!

Aos 33 mais um grande lance de Nuno Mendes a cruzar para Pote rematar e obrigar Matheus a uma grande defesa que negou a reviravolta. Aos 43 minutos, grande passe de Matheus Nunes para Pote que recebeu na meia direita e rematou de trivela ao ângulo contrário fazendo um verdadeiro golaço! Era o 2-1, pouco antes do intervalo.

Na entrada para a 2ª parte o Braga tentou reagir mas foi absolutamente impotente perante a maior categoria dos leões. Aos 50 minutos, belo passe de Pote para Paulinho, que num primeiro momento pareceu isolar-se mas depois caiu em luta com Tormena. Pareceu legal. Aos 53, passe de Palhinha e Pote a obrigar Matheus a brilhar uma vez mais. Aos 63, livre direto de Nuno Mendes, perigoso, com a bola a bater na malha lateral. Só o Sporting criava perigo, e em várias ocasiões… Aos 74 Jovane atirou colocado ligeiramente ao lado. Aos 81 minutos Matheus arriscou e saiu mal da baliza – o Sporting ganhou a bola por Tiago Tomás e depois Pote, apenas com um defesa na baliza, atirou muito mal para fora – o excelente médio ofensivo perdeu pela 2ª vez um golo cantado esta noite!…

Após uns exagerados 7 minutos de descontos a partida terminou com uma vitória justificadíssima daquela que foi claramente a melhor equipa em campo. O Sporting começa a temporada conquistando a sua 9ª Supertaça após uma exibição extremamente agradável!

Rúben Amorim apresentou a seguinte equipa: Adán; Gonçalo Inácio, Coates e Feddal (Matheus Reis 80); Ricardo Esgaio, João Palhinha, Matheus Nunes e Nuno Mendes; Pote (Bruno Tabata 83), Paulinho (Tiago Tomás 69) e Jovane Cabral (Nuno Santos 80).

Rúben Amorim afirmou: “Quem alterou as coisas foram os jogadores, não o treinador. Já não me ouvem, há público. Libertaram-se a seguir ao golo, tiveram mais confiança. Demorámos a entrar no jogo, o público acho que trouxe mais velocidade e vivacidade. Foram eles que começaram a perceber onde poderiam entrar, principalmente pelo lado esquerdo. Em relação ao Campeonato, vai ser igual, queremos ganhar todos os jogos e uma equipa candidata a vencer todos os jogos é candidata a vencer o Campeonato. Temos mais um ano de experiência, mas é ver o que se passa no futebol português, clubes que estão mais habituados a vencer que nós, têm outro tipo de orçamento e isso vê-se todos os dias. Não há que dar pressão extra, estamos a construir algo importante no Sporting. Para mim é mais fácil jogo a jogo. Para muitas pessoas isto é uma forma de nos protegermos. Eu acho que não, é facilitar o dia a dia dos jogadores. Eu sou o culpado deste discurso, não são eles, que têm uma fome e uma vontade de vencer. Vamos jogo a jogo, preparar o Vizela (…) O jogo não começou bem para a nossa equipa. O Sp. Braga começou melhor, mesmo sem ter muita bola. Não conseguimos passar a linha defensiva, trocávamos com o Adán, mas não estávamos a conseguir ligação com o ataque. O Sp. Braga conhece-nos bem, demorámos a entrar no jogo e o Sp. Braga fez um golo sem rematar muito, mas a tapar bem os espaços da equipa. A partir do golo, parece-me que nos libertámos um pouco. Daí também a resposta dos adeptos, que mesmo a ver a equipa a jogar mal, com um golo sofrido, apoiaram-nos muito e provaram que toda a gente estava errada quando diziam que era uma pressão extra. Foi uma grande ajuda (…) Passámos a dominar o jogo, a perceber onde estava o espaço. O Jovane a entrar no jogo, o Pote começou a entrar no jogo, fizemos um golo. Tivemos oportunidade para fazer o segundo, acabámos por fazer um grande golo do Pote, fomos para intervalo a ganhar e acho que a segunda parte é do Sporting. É o sabor de um título, é a um jogo, mas a taça vai para o museu, fica a forma como defrontámos o Sp. Braga e como a meu ver fomos superiores, como não tínhamos sido no ano passado, apesar das vitórias”.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário