Basquetebol – Sporting-74 Imortal BC-64 – A 1ª Supertaça para a modalidade!

25 de Setembro de 2021. Pavilhão Municipal de Sines. A equipa principal de Basquetebol do Sporting Clube de Portugal conquistou a 1ª Supertaça da sua História, neste sábado, ao vencer o Imortal BC por 74-64.
No primeiro encontro oficial de 2021/2022, entre os atuais Campeões Nacionais e o finalista vencido da Taça de Portugal (conquistada pelos leões), Luís Magalhães não pôde contar com o contributo de Tanner Omlid e Diogo Araújo, que ficaram de fora das opções devido a lesão.
No frente-a-frente com a equipa sensação da temporada passada, a aposta no cinco inicial recaiu sobre Travante Williams, Diogo Ventura, Joshua Patton, Micah Downs e Joshua Martin, que viram a formação algarvia começar melhor, adiantando-se com um parcial inicial de 2-10.
Num duelo bastante intenso e disputado, o Sporting CP conseguiu ripostar com um 10-0, mas o adversário voltou a demonstrar argumentos para discutir o troféu e passou novamente para a frente pouco depois, terminando o 1º quarto do encontro na liderança por 20-16.
O 2º quarto arrancou com poucos pontos para ambas as partes (aos 4 minutos tinham sido marcados apenas 6), até que as equipas começaram a acertar. O Sporting CP através dos lances livres, e mais tarde também da linha de 3 pontos, enquanto o Imortal BC fez do “tiro exterior” a sua arma. À entrada para o intervalo, a diferença era mínima: 36-37 para os algarvios.
No 3º quarto os leões entraram bem melhor, tanto a lançar como a defender, enquanto a formação de Albufeira demonstrou dificuldades em fazer o seu jogo. Ao fim de 5 minutos, o conjunto de Alvalade já vencia por uma margem de 9 pontos (50-41). Até ao final, o Imortal BC ainda conseguiu recuperar terreno e fixou o resultado em 55-51.
O último quarto começou com as duas equipas inspiradas nos triplos, mas a aposta focou-se depois no jogo interior. Mais competente a penetrar a defensiva contrária, perante um adversário já desgastado, o Sporting CP foi dilatando a vantagem com relativa naturalidade.
Mesmo depois de atingir o limite das 5 faltas coletivas, ainda com 4 minutos para jogar, a turma de Luís Magalhães nunca comprometeu. Bastante assertivos a defender, muitas vezes debaixo do cesto, os leões limitaram o ataque adversário à conversão de lances livres e contaram com um Mike Fofana muito inspirado, a atirar de todo o lado e a assinar 13 pontos.
Nota ainda para os desempenhos de Micah Downs (18 pontos), Joshua Patton (17) – foi considerado o MVP da final – e Travante Williams (13), que foram os melhores marcadores dos leões e assumiram-se como decisivos na conquista da 1ª Supertaça da História Leonina.
A equipa: Travante Williams (13), Diogo Ventura (6), Micah Downs (17), Joshua Martin (2) e Joshua Patton (17); António Monteiro (2), Daniel Machado, Daniel Relvão, Diogo Araújo, João Fernandes [C] (2), Miguel Maria Cardoso (2), Mike Fofana (13), Tanner Omlid, Joshua Martin, Joshua Patton e Afonso Guedes.
No rescaldo da conquista, as declarações dos protagonistas:
Luís Magalhães (treinador)
“Esta vitória assentou fundamentalmente no grupo, a equipa já tem traços coletivos muito interessantes. Em certos momentos já conseguimos defender com a qualidade que é a imagem de marca da nossa equipa, falta acertar o resto. Estava com muito medo deste jogo porque viemos de uma situação difícil. Fomos jogar à Estónia e ficámos 2 dias sem treinar porque o sistema de bolha não permita regressar logo. Depois chegámos a Portugal, treinámos 2 dias e ficámos mais 2 dias sem treinar porque não tínhamos pavilhão. Acabou por ser um microciclo atípico, mas os jogadores reagiram bem e atingimos o grande objetivo que era começar esta época como acabámos a última: a ganhar troféus (…) Tivemos aqui muito público como é habitual, pois o Sporting CP tem sempre uma grande falange de adeptos nos jogos fora de casa. Eles gostam de Basquetebol e da nossa equipa, seguem-nos para todo o lado e acompanham-nos. Ajudaram-nos e apoiaram-nos nos momentos mais difíceis, envio um grande abraço para todos eles por isso”.
Diogo Ventura
“Parabéns a todos os sportinguistas por mais um título. Trabalhamos para conquistar troféus e entregá-los ao Museu. Quero agradecer a este público fantástico que nos apoia em todo o lado. Esperemos que em breve a lotação total seja permitida porque sabemos que os pavilhões se vão encher de sportinguistas sempre que jogarmos. Mais uma vez, parabéns a todos (…) Nos momentos mais difíceis, sentimos sempre um carinho e uma força extra vindos da bancada. Assim tudo se torna mais fácil e quero agradecer por isso. Na época passada jogámos sempre com o pavilhão vazio, mesmos sentindo o apoio de todos os sportinguistas fora de campo, nas redes sociais e na rua. Foi o coroar da época passada com esta Supertaça, é um título inteiramente dedicado a todos os sportinguistas”.
João Fernandes
“Mais um título suado. A equipa esforçou-se e trabalhou muito para conseguir esta conquista. Estávamos a precisar de bons momentos e conseguimos. Com muita luta e garra, vamos levar mais um troféu para casa. Agora vamos continuar a trabalhar para alcançarmos mais títulos”.
Miguel Maria Cardoso
“É uma sensação fantástica chegar e começar a ganhar. Foi por isto que vim para o Sporting CP, para manter a tradição vitoriosa deste clube. O Sporting CP acabou a época passada a ganhar e começa esta da mesma forma, que é o mais importante. Defrontámos uma equipa muito forte num jogo extremamente difícil. Espera-nos uma temporada complicada, mas estamos preparados para ganhar e dignificar tanto o símbolo que carregamos ao peito como o escudo de Campeão Nacional. Não desistimos e vamos lutar até ao fim, é isso que nos caracteriza e é para isso que cá estamos (…) O apoio dos adeptos é fundamental, estiveram presentes em grande número hoje. Tornaram a nossa tarefa mais fácil, podermos festejar e partilhar estes momentos com eles é fantástico”.
Daniel Machado
“Além de ser o primeiro troféu da minha carreira, é um sentimento que não dá para explicar. As emoções estão à flor da pele, espero que continuemos a ganhar títulos, é isso que mais desejo. Mentalmente, isto vai ajudar-nos a dar um passo em frente na FIBA Europe Cup, por exemplo. Vamos continuar a lutar todos os dias (…) Os adeptos estiveram sempre a puxar por nós com tudo o que tinham, foram a arma secreta. Estão sempre do nosso lado e ainda bem”.
Afonso Guedes
“Estou muito feliz, foi um jogo equilibrado e renhido. Conseguirmos esta vitória foi muito importante, é mais uma Taça para o nosso Museu. Trabalhamos todos os dias, sempre a dar o máximo, com o objetivo de melhorar. Temos uma equipa recheada de bons jogadores, a nossa dedicação e trabalho deu-nos esta vitória”.
Diogo Araújo
“Do lado de fora custa muito mais. Tentei fazer o que podia a partir do banco, a dar dicas e a apoiar a equipa, mas não pude ajudar lá dentro. Fizemos um bom trabalhado e ganhámos. Recuperação? Está quase, regresso muito em breve”.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário