Rui Pinheiro

Rui Jorge de Mendonça Pinheiro nasceu a 7 de Maio de 1953 em Nampula – Moçambique. Tornou-se conhecido no Sporting de Lourenço Marques (onde começou a jogar em 1967) como uma das grandes promessas do Basquetebol português, tendo vindo depois para Portugal.

Ingressou no Sporting ainda nas camadas jovens, e para sempre ficou na memória um lançamento de 2 pontos seu que deu o título nacional de juniores aos leões (no último segundo), em Leiria, frente ao FC Porto, em 1971.

Em 1974/75 ganhou o seu 1º título (como sénior) pelo Sporting, a Taça de Portugal – na Ajuda, frente ao Benfica (78-75). No ano seguinte conquistou a “dobradinha” e já era considerado por muitos o melhor basquetebolista português de sempre. Em 1977/78 voltou a dar contributo importantíssimo para mais uma “dobradinha”. Em 1980 venceu a Taça de Portugal, triunfando em mais 2 títulos nacionais (os últimos do clube) em 1981 e 1982.

Depois o Sporting acabou com o Basquetebol e Rui Pinheiro passou pelo Queluz e pelo Estoril. Jogou também inúmeras vezes na Seleção Nacional, construindo uma carreira que fez dele um dos melhores basquetebolistas portugueses de sempre.

Numa entrevista ao site planetabasket.pt afirmou que Adriano Baganha foi o treinador que mais o marcou: “A sua capacidade técnica e inovadora para a altura, bem como o grande carisma em termos de balneário fizeram dele um dos melhores treinadores que passaram por Portugal”.

Acrescentou ainda que: “O sucesso que tive como lançador deve-se exclusivamente ao trabalho, persistência e atitude. Hoje em dia é vulgar chegar a um treino e ver os atletas de formação a lançar de 3 pontos. Sei que é vistoso mas os lançamentos treinam-se do cesto para trás e não ao contrário. Um bom lançador não treina o tiro ao cesto parado. Deve fazê-lo sempre a recriar os momentos do jogo por forma a que na competição esteja devidamente rotinado e possa aumentar as suas percentagens. Outro dos fatores que pesa imenso no jogo é a atitude e auto-confiança do jogador. Mas se treinar com intensidade, sacrifício e atitude o reflexo no jogo será por certo positivo. Ultimo conselho aos jovens que querem jogar basquetebol (ou fazer qualquer outro desporto) ao mais alto nível: um grande empenho para um excelente desempenho, uma atitude forte trará um sucesso garantido, jogar numa equipa significa dar a 4 para receber de 4, respeitem todos os intervenientes (árbitros, dirigentes, treinadores e pais) pois este é o único caminho para serem respeitados também e finalmente, amem o basquetebol pois é a única forma de serem felizes com as vossas conquistas”.

Na vida profissional seguiu a carreira de bancário. Permanece ligado ao Basquetebol corporativo da Caixa Geral de Depósitos, participando no Campeonato do Inatel.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário