5-2 num clássico com Daniel e Peyroteo em destaque

21 de Março de 1943. Neste dia o Sporting recebeu o FC Porto em jogo a contar para a 11ª jornada dum Campeonato Nacional disputadíssimo (entre Sporting, Benfica e Belenenses). Na altura os verde e brancos estavam no 3º lugar, e subiram uma posição nesta tarde de grande futebol. Comandados por Jozef Szabo, os leões alinharam com: Azevedo; Octávio Barrosa e Álvaro Cardoso; Canário, António Lourenço e João Nogueira; Mourão, Armando Ferreira, Peyroteo, Daniel e João Cruz.

Os visitantes até foram os primeiros a marcar, por Araújo, à passagem dos 23 minutos, mas logo na jogada seguinte Daniel restabeleceu o empate. Ambas as equipas necessitavam do triunfo, pelo que o FC Porto surgiu ambicioso no Estádio do Lumiar, e Correia Dias voltou a dar vantagem aos nortenhos aos 36 minutos. Imediatamente antes do intervalo Mourão voltou a empatar a contenda, pelo que era de 2-2 o resultado no descanso, esperando-se com ansiedade aquilo que as equipas poderiam produzir no 2º tempo.

A verdade é que no período complementar os sportinguistas estiveram irresistíveis. Daniel bisou fazendo o 3-2, e João Cruz, aos 65 minutos, acabou com as dúvidas. A 9 minutos do fim, Peyroteo (foto de arquivo) compôs o 5-2 final, uma vitória magnífica numa tarde memorável para os sportinguistas, onde o jovem Daniel esteve em particular destaque.

Foto (arquivo): Peyroteo

Post to Twitter

Deixe o seu comentário