Uma bela exibição do “novo Sporting” de Mário Lino

26 de Março de 1972. Sporting e FC Porto fizeram um Campeonato irregular. Quando se defrontaram em Alvalade, à 24ª jornada, já ambos estava longe do título. Ainda assim a partida foi agradável, constituindo uma das vitórias mais marcantes da temporada para o Sporting, já de Mário Lino, já sem Fernando Vaz. A equipa: Damas; Pedro Gomes, Laranjeira, José Carlos (cap) e Hilário; Manaca – Lourenço 22, Nélson e Peres; Chico, Yazalde – Marinho 32 e Dinis.

Antes da partida se iniciar, Damas recebeu das mãos de um representante da Agência Portuguesa de Revistas um troféu denominado “Baliza de Prata” premiando-o por ter sido o guarda-redes menos batido da temporada anterior. Com Mário Lino no comando técnico a equipa do Sporting estava diferente. A condição física era melhor, e a atitude também. Neste despique com o FC Porto, por exemplo, o Sporting lançou-se abertamente ao ataque desde o 1º minuto, encurralando o seu adversário atrás. Só Manaca se postava claramente a meio-campo. Os leões jogavam de forma muito direta, adiantando muitos homens para a zona defensiva portista.

Assim, não se estranhou que aos 33 minutos o Sporting inaugurasse o marcador. Numa jogada pelo flanco esquerdo, Dinis centrou a meia altura na direção de Yazalde, mas Rolando interpôs-se acabando por tocar a bola na direção da sua própria baliza. Apesar do esforço de Rui (ainda lhe tocou) o esférico entrou nas redes. Até ao descanso os leões mantiveram o domínio mas a sua grande pecha da temporada – défice de finalização, destacou-se como nunca. O intervalo chegou com 1-0.

Aos 56 minutos os portistas chegaram ao empate. Lemos fugiu pela esquerda e tocou curto para Abel,que aproveitando alguma passividade de Laranjeira, rematou cruzado ao poste mais distante tornando infrutífera a estirada de Damas. Os leões reagiram de pronto, e apesar de não jogarem tão bem como no 1º tempo, conseguiram chegar à vitória aos 63 minutos. Num canto marcado na esquerda por Hilário, Dinis saltou e tocou o esférico para a confusão. Muito oportuno, Chico (foto de arquivo) rematou rasteiro por entre uma “floresta de pernas” e com êxito. Depois foi um desperdiçar incrível de várias oportunidades, destacando-se um “tiro” de Marinho à trave e uma grande chance de Nélson concluída um pouco por alto.

No final, o 2-1 era curtíssimo para aquilo que se tinha passado no relvado de Alvalade. Mário Lino estava satisfeito com o resultado: “Foi um grande jogo entre duas grandes equipas. O Sporting comprovou hoje a sua melhoria, ganhou bem tendo realizado uma convincente exibição. O FC Porto apresentou-se muito bem fisicamente, técnica e taticamente também esteve em bom nível. Nós vamos lutar por obter a melhor classificação possível. Há jogadores que acusam nítida subida de forma como Lourenço, Joaquim Rocha, Marinho, Dani, Carlos Pereira e Vagner. Lourenço, ainda hoje demonstrou grande espírito de sacrifício auxiliando o meio-campo e indo à frente tentar o golo. Vagner também está em excelente momento”.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário