Solidariedade para com um “oficial” do mesmo “ofício”

5 de Dezembro de 1915. O Sporting defrontou o CIF naquela que seria a sua vitória mais “gorda” da temporada. Esta partida teve a curiosidade de marcar o regresso de 2 dos melhores futebolistas lisboetas, que há algum tempo estavam ausentes por doença – António Stromp e Picão Caldeira (do CIF – que 2 anos mais tarde, curiosamente, viria a jogar no Sporting).

O desafio não teve grande interesse face à superioridade do Sporting. No “Sport Lisboa” disse-se que: “Os jogadores do Sporting tomaram uma resolução que achámos altamente cortez e desportiva (…) resolveram não carregar Picão Caldeira (na foto), fraco ainda da recente doença, a fim de não o magoar, ainda que lealmente (…) A determinada altura, num momento em que um jogador do Sporting apontou à rede, Picão defendeu mas não segurou a bola. Os jogadores do Sporting acorreram, mas quando chegaram perto da baliza pararam. Picão viu-se rodeado de jogadores contrários, mas como nenhum carrega, fica sem saber o que se passa e supõe que o juíz parou o jogo. Esta atitude mantém-se até que alguém lhe grita e Picão resolve enviar a bola para meio do campo”.

Quanto ao jogo propriamente dito, o jornal “Sport Lisboa” referiu: “Dos avançados do Sporting estiveram em destaque Francisco Stromp e Jaime Gonçalves. António Stromp mostrou-se naturalmente destreinado, Perdigão inoportuno e Armour pouco diligente – como de resto é seu hábito. Artur José Pereira e Jorge Vieira estiveram bem tal como Paiva Simões, que apenas fez uma defesa”.

O Sporting ganhou facilmente por 7-0.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário