Vitória tranquila no derby eterno

31 de Março de 1935. Decorria o 1º Campeonato da Liga. No Campo Grande, o Sporting recebeu o Benfica (a quem já tinha ganho essa época o Regional) em jogo referente à 11ª jornada da prova.

Na altura os sportinguistas estavam no 2º lugar em perseguição ao FC Porto. Sob o comando de Joaquim Filipe dos Santos, os leões formaram com: Dyson; Jurado e Joaquim Serrano; Abelhinha, Rui de Araújo e António Faustino; Rui Carneiro, Vasco Nunes, Soeiro, Ferdinando e Francisco Lopes.

Pode-se dizer-se, segundo a imprensa da época, que o Sporting se impôs ao adversário desde os primeiros pontapés do jogo. Aos 25 minutos, de penalty, Rui Carneiro (um jovem que se estreava essa época pelo clube) abriu o ativo, e mais se solidificou a ideia entre os presentes que a vitória, nessa tarde, não fugiria aos verde e brancos.

No 2º tempo o Sporting entrou na firme disposição de acabar cedo com as dúvidas, e Francisco Lopes (foto de arquivo – outro valoroso atleta que fazia a 1ª época no clube) alargou a vantagem aos 55 minutos. 2 minutos depois Soeiro (que viria a ser o melhor marcador da prova, com 14 golos) fez o 3-0 e pairou no recinto o espetro de goleada. Os leões mantiveram o domínio, mas foram os forasteiros a reduzir, a 5 minutos do fim, pelo ex-leão Valadas. No final, triunfo do Sporting por 3-1, confirmando que eram os leões o principal adversário do Porto na luta pelo torneio.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário