Título “roubado” ao Benfica

13 de Abril de 1986. O Sporting, de Manuel José, fez uma boa ponta final de Campeonato vencendo os últimos 5 jogos. Na penúltima partida da prova os leões deslocaram-se à Luz para defrontar o Benfica que tinha mais 2 pontos que o FC Porto mas desvantagem no confronto direto. Assim, para os encarnados a vitória seria importantíssima e o empate o menos mau. A derrota poderia ser praticamente o fim das esperanças, se aliada a uma vitória do FC Porto em Setúbal, o que se viria a verificar. Com um Estádio da Luz cheio, numa tarde sol, o Sporting jogou com: Damas; Gabriel, Venâncio, Morato e Romeu; Oceano; Jaime Pacheco, Carlos Xavier (Duílio) e Sousa; Manuel Fernandes (cap) (Mário Jorge) e Meade.

O Sporting entrou na partida com uma excelente disposição com vista a vingar a pesada derrota sofrida no mesmo palco poucas semanas antes para a Taça de Portugal. Surpreendeu muita gente a demonstração de classe dada pelos leões desde o apito inicial do árbitro, mas a equipa leonina, mostrando o grande profissionalismo dos seus futebolistas, não veio para este jogo para fazer “favores” a quem quer que fosse, optando, isso sim, por fazer o seu jogo que em diversas fases da temporada se concluiu ter grande potencial.

Logo aos 12 minutos começou a desenhar-se a “tragédia” para os encarnados. Na sequência dum passe em profundidade para as costas da defensiva encarnada, Morato arrancou de forma soberba vindo de trás e atirou a contar para o melhor sítio. 12 minutos depois o Sporting aumentou a contagem por Manuel Fernandes, que conseguiu perfurar a defensiva adversária e bateu Bento à saída deste (festejos na foto).

Na 2ª parte o Benfica de John Mortimore melhorou um pouco, surgiu mais vezes junto da defensiva leonina, mas logo de início, na mesma jogada, Manuel Fernandes e Meade estiveram muito perto de fazer o 0-3. Ao quarto-de-hora os adeptos encarnados voltaram a ter esperanças com um golo de Manniche após um excelente raide de Veloso pela direita, e na verdade, até final, os encarnados chegaram a estar próximo do empate perante um Sporting muito ordenado, muito “frio”, mas sem a clarividência do 1º tempo.

No final dos 90 minutos Oceano foi considerado como a grande figura dos sportinguistas numa exibição esforçadíssima e cobrindo uma área muito vasta do terreno, mas Damas, os 2 centrais, Sousa e Manuel Fernandes também deixaram o seu brilho no relvado da Luz, enquanto os portistas faziam a festa em Setúbal…

O técnico Manuel José, após uma época frustrante, estava satisfeito com a vitória: “Na 1ª parte o Sporting podia ter marcado mais 2 golos. Depois, com o calor e a natural reação do Benfica, baixámos de rendimento. Durante a semana eu tinha dito que atuando com lucidez e inteligência poderiamos ganhar aqui, e foi o que aconteceu. Dignificámos o nome do nosso clube empenhando-nos ao máximo. Todos os responsáveis e jogadores do Benfica estão agora a sofrer com esta derrota mas, paciência… Não ganhando o Sporting gostei que fosse um treinador português a ganhar o Campeonato, com todo o respeito que tenho pelo Benfica e por Mortimore”.

O presidente João Rocha: “Agradecemos a todos que sempre acompanharam a equipa por todos os campos, mesmo como no caso de hoje em que já não havia possibilidade de vencer o Campeonato. Estou muito satisfeito porque 1.000 miúdos silenciaram 80.000, para o que, claro, muito contribuiu a portentosa exibição do Sporting, principalmente na 1ª parte”.

video

Post to Twitter

Deixe o seu comentário