Joaquim Ferreira

Joaquim da Silva Ferreira nasceu a 15 de Abril de 1937 em Paços de Ferreira. Chegou muito jovem ao Sporting, e não conheceu outro clube ao longo de toda a carreira. Com sucessivos êxitos ao longo de vários anos tornou-se um dos grandes atletas da História do clube. Mas vejamos os pontos principais da sua biografia desportiva:

Em Julho de 1957, com apenas 20 anos, triunfou nos 3.000 metros obstáculos da Taça Dr. Fernando Amado (a sua 1ª vitória significativa).

A 16 de Fevereiro de 1958 venceu o Regional de Corta-Mato, e duma forma heróica, recuperando mais de 30 metros para o benfiquista José Araújo (isto depois do sportinguista Manuel Faria ter desistido por indisposição, quando comandava). Nos Nacionais de pista foi campeão pela 1ª vez nos 3.000 metros obstáculos, com 9m28,4s. Já em Setembro, num torneio noturno em Alvalade, bateu o recorde nacional da distância, com 9m16,8s.

Em 1959, no Torneio Primavera, triunfou nos 1.500 e 3.000 metros obstáculos, num triunfo significativo do Sporting frente ao Benfica. Nos Regionais venceu a sua especialidade (3.000 obstáculos), o mesmo acontecendo nos Nacionais (2º título).

Em Fevereiro de 1960 foi Campeão Regional de Crosse, e no Nacional conseguiu o seu 1º (e único) título individual. Em Junho, na Corunha, bateu o recorde nacional dos 3.000 obstáculos, com 9m04s. Nos Regionais de pista voltou a vencer a sua prova e nos Nacionais foi campeão pela 3ª vez.

A 25 de Junho de 1961, ao triunfar nos 3.000 obstáculos, contribuiu para uma brilhante vitória do Sporting na Taça Tereza Herrera. Nos Regionais de pista venceu, e nos Nacionais também (4º título consecutivo).

A 5 de Fevereiro de 1962, no Grande Prémio Internacional de Madrid de Crosse, o Sporting venceu o Real Madrid, e Joaquim Ferrreira foi 3º. A 25 de Junho fez parte da equipa dos 4X1.500 metros que bateu o recorde ibérico, com 16m11,6s. Triunfou nos Regionais e Nacionais (pela 5ª vez).

Em 1963, nos Nacionais de pista, foi campeão pela 6ª vez consecutiva! No ano seguinte ainda contribuiu para alguns sucessos colectivos no Crosse e na Estrada.

Foi 26 vezes internacional, participando nos Jogos Olímpicos de 1960, em Roma, na prova de 3.000 metros obstáculos.

Muitos anos depois (década de 90) começou a dar nas vistas no escalão de veteranos, alcançando medalhas de prata em Europeus e Mundiais! Em 1992 ganhou o Prémio Stromp “Dedicação”.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário