1961 – Finalmente, Campeões Nacionais de Andebol de Onze

23 de Abril de 1961. O Sporting foi a 1ª equipa a jogar Andebol de Onze em Portugal. Finalmente, neste dia, os leões alcançaram o objetivo máximo – título de campeões nacionais, ao empatarem com o Benfica por 8-8 na última jornada.

A partida disputou-se no Campo Grande e o Sporting necessitava pelo menos dum empate para festejar finalmente o título quebrando uma longa hegemonia do FC Porto. Para esta partida decisiva, a equipa leonina não pôde contar com 2 dos seus principais jogadores – os irmãos Santos.

O Benfica conseguiu ser mais perigoso na 1ª parte e chegou a 6-3 logo nos primeiros minutos do 2º tempo. O Sporting, fazendo entrar Gonçalves (uma grande promessa), voltou ao ataque e em poucos minutos ficou a ganhar 7-6. Os instantes finais foram de grande emoção, em parada e resposta, tendo os encarnados empatado a partida a 8 golos mesmo nos últimos segundos.

No final foi natural a festa entre os jogadores sportinguistas e do seu dirigente Eduardo de Oliveira Martins, antigo praticante da modalidade.

Durante este jogo viveram-se momentos de grande expetativa, os segundos eram longos como horas, vivia-se grande ansiedade e todos olhavam para o relógio. Quando o árbitro apontou o caminho dos balneários uma enorme salva de palmas ecoou pelo velhinho peão do Campo Grande. Seguiu-se uma volta ao campo de consagração, braços no ar, saltos de contentamento, lágrimas de alegria e muitos vivas nas hostes leoninas – um verdadeiro Carnaval.

O treinador Raúl Vidal não tinha 1 segundo de descanso, retribuindo os abraços de parabéns. A rapaziada entretanto cantava o hino que fez seu: “Eu estava na peneira, estava peneirando”. Bem ensaiada, a cantiga brasileira era cantada a plenos pulmões. Depois apareceram na cabina alguns veteranos componentes de esplêndidas equipas de Andebol de Onze do Sporting, mas que nunca conquistaram semelhante glória.

Raúl Vidal afirmou na altura: “Há 24 anos que esperávamos esta grande vitória. Ela é importante para nós, sportinguistas, porque traduz, além do mais, o agradecimento dos nossos andebolistas à direção do clube. Do andebol têm saído inúmeros elementos para os corpos gerentes e nunca tinha acontecido um título máximo. Ora ele aí está. Hoje a minha equipa acusou um nítido nervosismo e sofreu uma forte chicotada quando o Benfica se afastou no marcador. Mas depois veio a velocidade e com ela o resultado ambicionado. Não sei se vou ganhar mais campeonatos nacionais, o que sei é que estou imensamente feliz.

Os jogadores campeões foram Evaristo (Soares); Mesquita, Agostinho e Marques; Pedroso e Bivar (2); Pincho, Monteiro, Feist, Pereira de Sousa – Gonçalves (1) e Patrício (5). Alemão, que não participou neste jogo, também fez parte da epopeia.

Na fase final ,com FC Porto, Benfica e Salgueiros, o Sporting venceu 5 jogos e só empatou este. Marcou 59 golos e sofreu 40.

Post to Twitter

Comments (1)

 

  1. Urbano Bispo says:

    Sou um “velho” leão de 73 anos. Para mim (ao contrário de muitos) o Sporting nunca foi só um clube de futebol, mas, sim, o clube mais ecléctico de Portugal. Foram muito poucas as modalidades desportivas, praticadas em Portugal, que não foram não foram praticadas no Sporting e, salvo erro, em nenhuma delas o Sporting deixou de ser campeão. O andebol de onze, por acaso, foi uma das modalidades que mais segui (mais tarde também pratiquei, infelizmente, não no Sporting. Não tinha categoria para tal) porque morando próximo da Pischeleira, era-me fácil, com dez, onze anos de idade, ir lá assistir aos jogos do Sporting. É que, se não sabem, era no velhinho campo do Pischeleira que o Sporting jogava. Bons tempos e que recordo com saudade.

Deixe o seu comentário