Apurados para a final da Taça das Taças ao eliminar o Olympique Lyon

5 de Maio de 1964. Ninguém esperava facilidades perante os franceses do Olympique Lyon, mas, de fato, foi um “bico de obra” conseguir chegar à final da Taça das Taças. A 1ª partida disputou-se em terras gaulesas. Um jogo belíssimo no qual a bola quase nunca saiu do terreno de jogo. Partida intensa, muito disputada por duas ótimas equipas. No final 0-0 e tudo adiado para Alvalade, mas a sensação que ficou foi que o Sporting poderia ter ganho, não fossem as duas bolas ao poste de Géo…

Para a 2ª mão os leões entraram como favoritos, mas um estranho enervamento coletivo obstou a que se resolvessem as coisas. Ainda assim valeu o golo salvador de Géo, que levou os verde e brancos a 3º jogo.

O encontro decisivo disputou-se no Vicente Calderon, em Madrid, a 5 de Maio. Sob o comando do arquiteto Anselmo Fernández, o Sporting jogou com: Carvalho; Pedro Gomes, Alexandre Baptista e Hilário; Mendes e José Carlos; Péridis, Osvaldo Silva, Mascarenhas, Géo e Morais.

Mais uma vez Osvaldo Silva foi decisivo (marcou o único golo do jogo, aos 65 minutos), e os sportinguistas conseguiram, com a vitória magra, o “passaporte” para a final de Bruxelas. Fato curioso ligado a esta meia-final final foi o entusiasmo dos responsáveis franceses perante Osvaldo Silva. Na verdade, o médio-atacante sportinguista começava a deixar a sua marca por todos os sítios onde jogava, e os lioneses acenaram-lhe com 5.000 contos pela vinculação ao seu clube. O Sporting respondeu que Osvaldo era inegociável. O brasileiro não se importou, mas quando chegou a Lisboa inteirou-se de saber para que daria tanto dinheiro. Pois era suficiente para adquirir 4 prédios na Avenida de Roma!…

Outro aspeto interessante deste 3º jogo frente ao Lyon teve a ver com Géo. O brasileiro tinha estado em grande nos 2 jogos anteriores da eliminatória mas desta vez quase nem se viu. As suas palavras no final: “Sofri um choque muito grande… Mamãe aniversariou hoje e custou muito estar longe dela e dos meus 12 irmãos. Por isso… E lá no Escorial dormi muito mal, talvez saudades de mamãe…”

Este foi o 22º jogo e a 11ª vitória do Sporting na História das Competições Europeias de Futebol.

video

Post to Twitter

Deixe o seu comentário