2002 – Vitória na Taça de Portugal de Futebol, e “dobradinha” 20 anos depois

12 de Maio de 2002. 20 anos depois o Sporting voltou a conquistar a “dobradinha” ao triunfar na final da Taça de Portugal (pela 13ª vez) frente ao (surpreendente) Leixões (de Carlos Carvalhal) por 1-0 com um golo de Jardel, pois claro. A equipa orientada por Laszlo Bölöni: Nélson; Quiroga, Beto, André Cruz e Rui Jorge; Rui Bento e Paulo Bento (César Prates); Pedro Barbosa (Quaresma) e João Pinto; Nalitzis (Hugo Viana) e Jardel.

Se surpreendente foi o apuramento da equipa de Matosinhos (que militava na 2ª divisão B) para a final da Taça, mais surpreendente foi a sua postura na partida. O Sporting era claramente favorito, mas uma semana de intensos festejos pela conquista do título nacional tornaram a equipa mais “pachorrenta” e algo relaxada, o que acabou por se tornar perigoso. A exibição global dos verde e brancos não foi por isso brilhante, mas o conjunto mostrou-se aguerrido e com respeito pelo adversário. O meio-campo, com os dois Bentos, esteve bem povoado, enquanto João Pinto -“o grande artista”, ía desequilibrando em matéria ofensiva.

Aos 34 minutos de jogo Rui Bento fez um verdadeiro golão. A bola bateu na trave e ressaltou para dentro da baliza, mas nenhum dos 3 componentes da equipa de arbitragem (liderada por Olegário Benquerença) deu pelo golo, e o resultado manteve-se, por isso, num nulo. Aos 40 minutos, após uma magnífica assistência de Pedro Barbosa, Jardel fez (em posição duvidosa) o único golo da partida.

A 2ª parte não foi fácil, o Leixões arregaçou as mangas e tentou tudo por tudo, mas o Sporting controlou sempre a situação saindo como vencedor natural num triunfo valorizado pela excelente réplica do adversário.

Para o presidente da SAD, Miguel Ribeiro Teles, em jeito de balanço desta magnífica época futebolística: “Cumprimos os nossos objectivos desportivos para esta temporada conquistando o Campeonato e a Taça de Portugal. Foram vitórias suportadas por um conjunto de pessoas que tudo fez para as tornar possíveis. Quanto a este encontro, a equipa está um pouco cansada dado ter sido um ano desgastante, e o plantel é curto. Nós sabíamos as vantagens e as desvantagens deste facto e tudo estava programado”.

video

Post to Twitter

Deixe o seu comentário