O presidente Barreira de Campos sobre o estado do Sporting em 1944

24 de Novembro de 1944. O Sporting havia ganho mais um Regional lisboeta de Futebol há pouco tempo. Foi oportuna a entrevista de Barreira de Campos (na foto), o presidente da coletividade, ao jornal “Os Sports”.

Segundo a opinão do líder sportinguista: “Esta foi uma vitória com valor e brilho, alcançada em luta nobre e leal com os nossos mais fortes rivais no campo desportivo. No Campeonato Nacional tentaremos vencer e tenho esperanças que isso aconteça”.

Cerca de 1 mês antes o Sporting tinha jogado em Espanha com o Atlético Aviación: “A última viagem a Madrid foi gloriosa por todos os motivos para o desporto nacional e sportinguista. O ambiente que encontrámos em Espanha excedeu as nossas melhores expetativas. Fomos mensageiros do reatamento de relações luso-espanholas, tendo esta constituído uma ação positiva do clube em favor do desporto nacional. Merecemos inequívocas manifestações de simpatia, deixando também a melhor impressão entre os dirigentes do futebol espanhol”.

No que diz respeito ao desenrolar das outras modalidades: “No Atletismo, em 1944, só não vencemos os campeonatos de seniores e temos uma equipa com uma ótima perspetiva de futuro (seria campeã nacional na época de 45). No Ciclismo, apesar da fraca atividade nacional, obtivemos alguns bons triunfos, realçando também a prestação de João Lourenço por terras de Espanha. No Andebol, Basquetebol e Natação, sem vitórias relevantes, prosseguimos o rumo certo. No Ténis mantemos magnífica atividade. Inaugurámos um novo court que tem a particularidade de o terreno ser permeável, absorvendo com facilidade a água das chuvas, o que permite jogar-se no Inverno”.

Partindo para uma perspetiva mais global: “A situação geral do clube, em termos financeiros, pode considerar-se boa. Temos alguma disponibilidade e mantemos intacto o fundo pró-sede que anda à volta dos 500 contos provenientes do lucro da venda do edifício da antiga sede e da quotização especial de 1$ por sócio. Temos atualmente cerca de 7.000 associados e vamos agora estabelecer mais um período de isenção de jóia para tentar aumentar o seu número”.

Mas nem tudo eram rosas… “Os nossos problemas atuais são a sede e o campo. O futuro estádio compreenderá campo relvado para jogos rodeado de pistas de Ciclismo e Atletismo, campo relvado para treinos, piscinas, campos de Vólei e Basquete e courts de Ténis. Prevê-se ainda a construção dum ginásio, mas se encontrarmos a sede que pretendemos será lá o dito. Os recursos para as obras provêm das nossas próprias possibilidades, do interesse e apoio dos sócios e do indispensável auxílio das entidades oficiais”.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário