Alberto Matos

Alberto Matos nasceu a 6 de Junho de 1944. A 8 de Maio de 1966 (com apenas 21 anos) começou a dar nas vistas enquanto atleta leonino ao vencer os 200 metros barreiras do Grande Prémio Guérin. A 26 de Junho sagrou-se campeão regional individual nos 100 metros barreiras. Esse ano de 1966 foi o do seu lançamento na “alta roda” e na década que se seguiu atingiu pontos muito altos.

Em Agosto de 1967 venceu os 110 metros barreiras dos Nacionais por equipas, com 15s, mas o Sporting perdeu o título coletivo após 11 triunfos consecutivos. Na prestigiada Taça Fernando Amado triunfou na mesma prova, e a 10 de Setembro sagrou-se pela 1ª vez campeão nacional individual, ao vencer de novo os 110 metros barreiras (com 15,7s).

No ano seguinte começou por triunfar nos 110 metros barreiras do Torneio de Abertura. Nos Regionais individuais triunfou na mesma prova, enquanto nos colectivos acrecentou-lhe também a vitória nos 400 metros barreiras. Nos Nacionais individuais voltou a ser campeão, agora com 15s. A 18 de Agosto de 1968 o Sporting recuperou o título nacional colectivo. Alberto Matos teve uma boa quota parte de responsabilidade no feito ao vencer os 110 metros barreiras (14,6s) e os 400 metros barreiras (54s).

A 25 de Maio de 1969 revalidou o título regional nos 110 metros barreiras, triunfando também nos 200 metros. A 29 de Junho teve uma tarde de verdadeira glória ao bater os recordes nacionais dos 110 barreiras (14,5s) e 400 barreiras (52,5s) nos Regionais por equipas. Nos nacionais colectivos voltou a triunfar nessas provas, contribuindo para o título coletivo. Nos nacionais individuais levou a melhor nos 200 metros barreiras com 24,2s.

Mais um recorde nacional surgiu no seu palmarés a 15 de Março de 1970 num Meeting em Lisboa. Foi nos 200 metros barreiras, e conseguiu fazer 24,5 segundos. Triunfou depois no Torneio da Primavera (110 barreiras) e brilhou nos Regionais individuais ao igualar o recorde dos 110 barreiras (14,5s) e triunfar ainda nos 400 metros barreiras. Em Julho foi mais uma vez campeão nacional dos 110 barreiras e 200 metros. No plano colectivo esteve arrasador nos Nacionais, ao vencer os 110 barreiras, 200 barreiras, 400 e 400 barreiras, ajudando a levar o Sporting ao tri-Campeonato. Na Taça Fernando Amado voltou a vencer os 110 metros barreiras.

Em 1971 começou por vencer os 110 barreiras do Torneio de Abertura (em Março). No Torneio Primavera levou a melhor nos 110 e 400 barreiras. Nos Regionais individuais, para não variar, venceu os 110 metros barreiras. Nos Regionais coletivos mais um recorde nacional, nos 400 metros barreiras, com 52,2s. Triunfou ainda nos 110 metros barreiras e nos 400 metros. No Grande Prémio Internacional de Lisboa bateu o recorde nacional dos 400 metros barreiras (51,8s). No 15º Grande Prémio Internacional da Corunha os leões estiveram em grande plano, e Alberto Matos foi um dos protagonistas ao vencer os 400 metros barreiras. Nos Campeonatos Nacionais Individuais sagrou-se campeão dos 110 barreiras e 400 metros. Nos Nacionais coletivos o Sporting esteve espantoso e Matos venceu 3 provas (110 barreiras, 400 e 400 barreiras).

A 9 de Abril de 1972 bateu o recorde nacional dos 200 metros barreiras com 24s no Torneio de Abertura. Nos Regionais individuais foi o melhor nos 110 barreiras. Em Maio, nos Regionais colectivos, igualou o recorde nacional dos 110 metros barreiras (14,2s) e triunfou ainda nos 400 metros barreiras. No mês seguinte, nos Campeonatos Abertos de Madrid, igualou o recorde nacional dos 400 barreiras com 51,2s, fazendo exactamente o mesmo duas semanas depois nos Campeonatos de Espanha. A 9 de Julho o Sporting voltou a ser campeão nacional, e Alberto Matos contribuiu com o triunfo nos 110 barreiras. Nos Nacionais individuais fez parte da equipa que venceu os 4X200 metros.

A partir de 1973 José Carvalho surgiu como seu digno sucessor. Ainda assim, triunfou nos 110 metros barreiras e 4X100 metros dos Regionais coletivos a 23 de Junho de 1974. No ano seguinte, na mesma prova, voltou a ser o melhor nos 110 metros barreiras, o mesmo acontecendo em 1976, naquela que foi a sua última vitória como atleta leonino.

Assim, em 11 anos ao mais alto nível como atleta do Sporting obteve os seguintes títulos (só para focar os mais significativos): 4 Campeonatos de Portugal de 110 metros barreiras, 1 Campeonato de Portugal dos 400 metros, 1 Campeonato de Portugal dos 200 metros, 1 Campeonato de Portugal dos 200 metros barreiras e 1 Campeonato de Portugal dos 4X200 metros.

A nível coletivo foi 10 vezes Campeão Nacional pelo Sporting. Venceu muitas outras competições e bateu vários recordes nacionais.

Alinhou pela Seleção Nacional por 20 vezes. Participou nos Jogos Olímpicos de Munique (1972) nos 110 metros barreiras e 4×400 metros onde contribuiu para um recorde nacional com 3m10s, marca que se manteria recorde por 10 anos.

Foi um atleta de elevado nível técnico que marcou uma era no Sporting.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário