1984 – Magnífica conquista da Taça de Portugal de Hóquei em Patins

9 de Junho de 1984. Neste dia o Sporting conquistou a sua 3ª Taça de Portugal em Hóquei em Patins, mas a História dessa prova foi extraordinária e merece uma abordagem mais pormenorizada.

A 17 de Maio, na 1ª mão das meias-finais, o Sporting perdeu por 8-1 no pavilhão da Luz com o Benfica. Marcou Realista. Ao intervalo o resultado era de 2-1, mas a velocidade do Benfica na 2ª parte desuniu os leões, onde só Trindade esteve próximo do seu nível, apesar de perder oportunidades incríveis.

Uma semana depois, e contra todas as expetativas, o Sporting cometeu a proeza de virar a eliminatória com um triunfo por 12-4! A equipa: Ramalhete e Serra; José Rosado, Realista (3), Trindade (2), Luís Nunes (5), Sérgio (1) e Campelo (1).

Foi uma sensacional recuperação. O Sporting chegou a 4-1, mas a sofreguidão impediu mais golos. O Benfica recompôs-se e pareceu que tudo estava decidido ao intervalo com o resultado em 5-3. Ainda por cima, logo no início da 2ª parte os vermelhos reduziram para 5-4… Só que os sportinguistas, muito apoiados pela “Força Verde”, aceleraram e os benfiquistas cederam por todos os lados. Livramento fez uma gestão inteligente da componente física ao rodar todos os elementos. A grande força do conjunto e determinação dos leões fê-los chegar à final, com um resultado extraordinário.

A 2 de Junho o Sporting foi às Antas para a 1ª mão da final, tendo perdido por 9-7. Os “leões” jogaram com: Ramalhete e Serra; José Rosado (1), Realista (1), Luís Nunes (1), Trindade (4), Campelo e Sérgio.

O Sporting ganhva por 3-2 ao intervalo num jogo muito equilibrado. A 2 minutos e meio do fim havia 7-7, mas a expulsão temporária de Trindade permitiu aos já campeões nacionais chegar aos 9-7. Ramalhete, Luís Nunes e Trindade foram os melhores leões.

Finalmente, a 9 de Junho, o Sporting recebeu em Alvalade o FC Porto para a grande decisão. A equipa: Ramalhete e Serra; José Rosado, Realista (1), Trindade (4), Luís Nunes (1), Campelo (1) e Sérgio.

O Sporting marcou primeiro e ganhou alma. Chegou depois a 2-0 mas os portistas recompuseram-se e viraram para 3-2 a seu favor. Até ao intervalo, nova reacção leonina permitiu-lhe chegar a 5-3, resultado que empatava a final. Já no 2º tempo, Trindade pôs, pela primeira vez, o Sporting à frente da final e a equipa ganhou serenidade.  Entretanto alguém enviou farinha (!) para o banco portista, o que provocou a interrupção do jogo. Quando Campelo fez 7-3 sentiu-se que a Taça já não fugiria – o Sporting mostrava mais frescura. A 1 minuto e meio do fim os portistas ainda reduziram para o 7-4 final, que proporcionou uma bela conquista aos verde e brancos.

Ramalhete e Trindade foram os maiores entre os leões, e no final houve uma grande festa entre os sportinguistas com invasão pacífica do rinque.

Na foto, Trindade e Realista, duas das grandes figuras do conjunto sportinguista.

Post to Twitter

Comments (3)

 

  1. sporting canal says:

    A conquista da Taça CERS já está aqui relatada no Sporting Canal. Quanto à Supertaça que referiu, dar-lhe-emos notícias assim que possível. SL

  2. Henrique Salgado says:

    Amigos, preciso da v/ ajuda…
    …há um Leão de Juba Alta, o Grande Juvenal Carvalho, que quando lhe falo da semi final épica desta Taça (1984), me fala numa tb épica remontada ante os lamps, que conduziu à n/ única vitória na Supertaça (foi a 1ª edição da prova); na altura, eu ainda não estava ligado à Causa, em termos de acompanhamento e a idade era pouca… têm algo no v/ arquivo sobre tal conquista? Já piquei td e + alguma coisa (Net, publicações leoninas, etc etc) e nada de nada.
    Deste final de época do hóquei, em 84, recordo 2 momentos: o “desinteresse” na 2ª mão da meia final (os jogos foram a meio da semana) e no programa desportivo da antiga Rádio Comercial (22h30-23h), há uma intervenção em directo do pavilhão e o comentador inicia a intervenção com o relevo do empate na eliminatória (11-4, naquele momento) e é durante o directo, que ocorre o 12º golo… bem, eu que na minha cama ouvia estes programas, estava nas nuvens com o 11-4… quando se dá o 12-4, bem, em grande!
    Outro momento inolvidável: a conquista da T. CERS, sendo nós, então, o 1º clube na Europa, a ter as 3 taças internacionais de HP.

Deixe o seu comentário