6-1 aos detentores da Taça de França

21 de Junho de 1961. Nessa noite o Sporting recebeu o Sédan, equipa recém-vencedora da Taça de França. Os leões fizeram uma exibição magnífica, relembrando tempo áureos de vitórias notáveis frente a grandes equipas estrangeiras. A partida disputou-se em Alvalade, tendo o Sporting, sob o comando de Otto Glória, alinhado com: Carlos Gomes (Aníbal); Lino, Lúcio e Hilário (Monteiro); Mendes (cap) e Ferreira Pinto; Hugo, Fernando, Figueiredo, Seminário e Géo (Morais).

Os franceses entraram em campo com muitas cautelas defensivas e o Sporting sem grande inspiração. Ainda assim, os leões abriram o ativo logo aos 12 minutos. Um defesa francês carregou Figueiredo à entrada da grande-área. No respetivo livre, Lúcio aplicou um dos seus remates fulminantes, fazendo a bola sobrevoar a barreira, bater na trave e ressaltar para dentro da baliza.

9 minutos depois surgiu o 2-0. Géo fez a jogada endossando a bola a Figueiredo, que sobre a linha de cabeceira, depois de driblar um defesa, fez o remate de ângulo quase fechado, obtendo um belíssimo golo. A 1 minuto do intervalo Seminário fez 3-0. Lino centrou, a defesa contrária rechaçou, e o peruano, depois de parar a bola com o peito, atirou forte e por alto, a contar.

O intervalo chegou com 3-0, e logo no 1º minuto do período complementar Fernando teve uma bela iniciativa culminada com um passe a Figueiredo, que não falhou. Um quarto-de hora depois Lúcio ainda fez um auto-golo, mas as 70 minutos já o marcador subia para 5-1 por Figueiredo, aproveitando um mau passe dum francês ao seu guarda-redes de Maryan. 4 minutos faltavam para o final quando os leões fecharam a contagem em 6-1. Hugo fez a jogada com Fernando e este assistiu Monteiro, que diante da baliza deserta não falhou.

Nesta 2ª parte o Sporting passeou classe, jogando um futebol fácil e pelos flancos. No cômputo geral os leões fizeram uma exibição agradável, com períodos de brilhantismo. Lino (foto de arquivo – exibição memorável), Lúcio e Seminário foram os melhores da equipa.

Na mesma noite, incluída nas festas do 55º aniversário do Sporting, defrontaram-se uma equipa denominada de Violinos (com a tradicional equipa da época, mais Martins) e outra de Velha Guarda (com homens como Dores, Juca, Soeiro ou Galileu). Curioso foi ver que antigos futebolistas como Soeiro ou Travassos ainda eram capazes de levantar o estádio com golos portentosos. O resultado final foi 2-2 com golos de Martins, Soeiro, Travassos e Galileu.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário