1936 – Campeões de Portugal de Futebol pela 3ª vez

5 de Julho de 1936. FC Porto, Benfica e Belenenses já possuiam nas suas vitrinas 3 Campeonato de Portugal. O Sporting já ía para a sua 8ª final e ainda só possuía 2 títulos. Na fase derradeira duma época que mostrava à saciedade um conjunto leonino de grande força coletiva, os verdes defrontaram no Lumiar a muito competitiva equipa do Belenenses – que já afastara FC Porto e Benfica da competição.

A partida contou com a presença do Chefe de Estado, Marechal Carmona. Orientada por Wilhelm Possak, a equipa verde e branca: Azevedo, João Jurado e Vianinha, Abelhinha, Rui Araújo e Faustino; Abrantes Mendes, Pireza, Soeiro, Mourão e Francisco Lopes.

A 1ª parte foi muito disputada e equilibrada, com ataques e golos repartidos. Aos 12 minutos o médio-esquerdo Faustino abriu o ativo para os leões – Francisco Lopes marcou um canto à maneira curta para Pireza, este devolveu a bola ao extremo que a tocou para Faustino que, na passada, vindo de trás, aplicou um belo pontapé para dentro da baliza. Já perto do intervalo Rafael Correia empatou a contenda.

O 2º período de jogo foi bem mais acidentado e aquele no qual os leões mostraram uma superioridade que justificou a vitória. Os adeptos belenenses começaram a contestar com alguma veemência o árbitro da partida, e o “caldo ficou entornado” quando à passagem da meia-hora Pireza desempatou para os verde e brancos, pois um dos seus companheiros estava alegadamente em fora-de-jogo posicional. O ambiente chegou a estar “feio” e a agitação foi tal que muito pouco faltou para se dar a intervenção da Guarda Republicana.

A apenas 4 minutos do fim, de novo o aparentemente frágil Pireza “molhou a sopa” (era o 3-1 final) acabando com o sonhos dos da “cruz de Cristo” e possibilitando aos leões a obtenção do seu 3º título nacional, naturalmente muito festejado.

Azevedo, Vianinha, Abelhinha e Pireza foram as principais figuras da equipa. A imprensa da época considerou o trabalho do árbitro José Travaços como “muito complicado, mas imparcial”. Curiosamente, o jornal “O Século” justificou a derrota dos azuis pelo “excessivo tamanho do campo” (!)

Na foto, de cima para baixo e da esquerda para a direita: Faustino, Abelhinha, Rui de Araújo, Vianinha, Jurado, Azevedo e Wilhelm Possak (treinador); Abrantes Mendes, Pireza, Soeiro, Mourão e Francisco Lopes.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário