O Atletismo era um caso à parte

7 de Agosto de 1927. Nos 6ºs Campeonatos Nacionais de Atletismo (realizados no Stadium de Lisboa neste dia e na véspera), e apesar de alinhar desfalcado de várias das suas principais figuras, o Sporting obteve 6 triunfos individuais (ainda não havia atribuição de título coletivo). Destaque para Fernando Marrecas, que bateu o recorde nacional no triplo-salto com 12m94cm. Os triunfos:

110m barreiras – Araújo Ferreira – 17,8s

400m barreiras – José Carvalho Amaro – 1m05,2s

Altura – 1º Pascoal de Ameida – 1m75cm

Comprimento – 1º Fernando Marrecas – 6m41cm

Dardo – 1º Arsénio Soares – 44m55cm

Triplo Salto – 1º Fernando Marrecas – 12m94cm (novo recorde nacional)

Mau grado a gravíssima crise financeira, o Atletismo leonino permaneceu no top servindo como compensação às deceções do Futebol e da tesouraria. Aliás, no próprio jornal do clube se fazia um apelo à sua prática: ““O Atletismo é a mais simples e a mais natural das modalidades desportivas. A prática atlética trás-nos o prazer duma constante e fácil auto-avaliação dos progressos realizados. O Atletismo deve ser, na atividade desportiva, o Futebol dos meses estivais. Não é apenas praticando o Futebol que se pode lutar pelo bom nome do Sporting. Vem treinar às terças, quintas e sábados, às 17 horas”.

Já em termos Regionais a equipa leonina fôra a que mais vitórias alcançou, conquistando por isso a taça Sobral Dias. Os verde e brancos concorreram com 24 atletas, e em 19 provas conquistaram 10, batendo 5 recordes nacionais! – José Carvalho Amaro nos 400m barreiras (1m03,8s), Abílio Nascimento nos 800m (2m07,2s), Alberto Pepino, José Palhares Costa, José Carvalho Amaro e Abílio Nascimento nos 4X400m (3m47,2s), Arsénio Soares no lançamento do dardo (46m17cm) e Fernando Marrecas no triplo-salto (12m69cm) – um espanto. Esta foi a vitória do método, da persistência e da disciplina, numa secção que constituía a “menina dos olhos” do clube.

Na Taça António Stromp os atletas leoninos também não vacilaram, conquistando a vitória colectiva e vários triunfos individuais,com destaque para os recordes nacionais nos 500m – de José Carvalho Amaro (1m13,2s), nos 1.000m – de Abílio Nascimento (2m48,8s) e no lançamento do dardo – de Arsénio Soares (43m46cm – que viria a superar no já referido Campeonato Nacional ).

Para além de tudo isto, Manuel Dias triunfou no Campeonato Regional de Crosse (a 2ª vitória leonina, depois da Cecílio Costa em 1923). O mesmo atleta, pujante como nunca, bateria o recorde nacional dos 3.000 metros no Concurso do Académico (9m16,8s). Na mesma prova, Arsénio Soares pulverizou o recorde de Portugal do lançamento do dardo (46m92cm).

Na foto: Fernando Marrecas num dos seus magníficos saltos.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário