Digressão marcante a Angola e Moçambique

10 de Agosto de 1969. Este foi um dia de vitória clara sobre o Benfica, mas comecemos pelo princípio: Recheado de novidades (de onde se destacaram as aquisições de Peres à Académica e Nelson ao Varzim), o início da época para a equipa de futebol do Sporting não poderia ser melhor (perspetivando o que se viria a passar oficialmente).

Numa digressão por Angola e Moçambique, o Sporting venceu 2 troféus. Primeiro o Torneio Internacional de Lourenço Marques – frente a Racing de Buenos Aires e Benfica, e depois a Taça Cidade de Luanda, em disputa direta com os encarnados.

No Torneio Internacional de Lourenço Marques os leões começaram por empatar a zero com o Racing de Buenos Aires fazendo uma razoável exibição, num jogo em que Damas foi, mais uma vez, o grande destaque. Depois da vitória do Benfica por 1-0 frente ao Racing, bastava aos encarnados um empate com o Sporting para conquistarem o torneio, mas os leões de Fernando Vaz, com José Moraes, Nelson e Gonçalves em grande destaque, fizeram uma magnífica exibição no Estádio Salazar, a 6 de Agosto, e triunfaram por 1-0 (golo de Nelson), resultado que pecou por escasso.

4 dias depois o palco já não foi Moçambique mas sim Luanda. Na Taça com o nome dessa cidade os sportinguistas bateram claramente o Benfica por 5-2. O jogo foi disputado no campo dos Coqueiros perante 12.000 pessoas. A equipa: Damas; Pedro Gomes, Alexandre Baptista, José Carlos e Celestino; Gonçalves, Pedras e Peres; José Moraes (Oliveira Duarte), Nelson (Chico) e Lourenço (Marinho).

O Sporting inaugurou o marcador logo no 1º minuto. Na sequência dum pontapé de canto, e após alguma confusão, surgiu Gonçalves oportuno a rematar certeiro de pé direito. 10 minutos depois os leões aumentaram a contagem com um excelente golpe de cabeça de Lourenço. Estavam decorridos 52 minutos quando o Sporting marcou o tento da tranquilidade após uma magnífica corrida de Nelson, que deixando para trás todos os adversários bateu inapelavelmente José Henrique. Aos 69 minutos o Sporting chegou à goleada, por Marinho, que aproveitando um mau passe de Humberto Fernandes, bateu com toda a calma para o fundo da baliza. No minuto seguinte Simões marcou um canto e Torres elevou-se muito bem para reduzir, mas aos 75 minutos os leões, em tarde de grande acerto, fizeram o seu 5º golo por Nélson, que a magnífico passe de Peres em profundidade, usou a sua rapidez para se isolar e marcar. O 5-2 final foi obra de Torres e um grande “frango” de Damas… Em suma, o Sporting foi uma equipa muito mais veloz que o adversário, ficando a sensação que, se preciso fosse, os leões poderiam ter obtido um resultado ainda mais robusto.

No balneário o ambiente era de grande contentamento. Depois de chegar às cabinas com a Taça, José Carlos afirmou: “Merecemos indiscutivelmente o triunfo mas poderíamos ter ganho por uma margem superior. Com Eusébio talvez não tivéssemos ganho por tantos, mas nem com ele o Benfica hoje se salvava de perder”.

A vitória dos leões de Fernando Vaz deixou os sportinguistas de Luanda em euforia. Depois da magnífica exibição, um verdadeiro cortejo seguiu o autocarro da equipa (na sua viagem para o hotel) pelas ruas da cidade.

Acrescente-se que, nesta digressão por terras africanas, o Sporting defrontou e bateu ainda o Sporting da Beira por 7-1 (Lourenço2, Pedras2, Nelson, José Moraes e Marinho) e o Sporting de Benguela por 6-0 (Pedras2, Nelson2, Marinho e Gonçalves).

Na foto (arquivo): Nelson, um dos grandes destaques dos leões nos jogos em África.

Post to Twitter

Comments (2)

 

  1. sporting canal says:

    Bom dia. Obrigado pelo seu contacto. Esse jogo, que marcou a estreia de Dinis e Juvenal de verde e branco, disputou-se em Alvalade. O golo do Sporting foi da autoria de Ernesto.

  2. Boa noite, Gostaria de saber onde foi o jogo Racing de Buenos Aires 2×1 Sporting no dia 1 de setembro de 1969. Obrigado pela atenção.

Deixe o seu comentário