Lídia Faria

Lídia da Conceição Faria Pereira Granja nasceu a 15 de Agosto de 1942 em Dois Portos, localidade situada nos arredores de Torres Vedras. Desde muito menina mostrou-se rebelde e sonhadora. Ainda jovem foi viver para Lisboa para casa duma tia. Sonhou ser toureira, aprendeu acordeão e adorava correr e saltar. O seu clube era o Benfica, pelo que o seu professor de música nele a inscreveu como Lídio Faria, pois os encarnados não possuiam Atletismo feminino. Não a receberam, e experimentou o Sporting, com 17 anos.

Para quem diz que se pode mudar de tudo menos de clube, a bela Lídia constitui uma completa exceção. O Sporting passou a ser a sua casa e a tomar o lugar devido no seu coração. A partir de 1960 começou a ganhar títulos, e daí para a frente foi um “ver-se-te-avias”, até 1968, ano em que as leoas conquistaram o 10º título nacional consecutivo. No total somou 4 títulos nacionais de 80 metros barreiras, 1 de 100 metros, 5 de 4X100 metros, 2 de 200 metros, 1 de 400 metros, 8 no lançamento do disco, 5 no lançamento do peso e duas vitórias no Pentatlo Nacional. Para além dos triunfos referidos, bateu diversos recordes nacionais e ibéricos.

Nesse tempo, Lídia Faria pouco se importava com os remoques por mostrar as pernas, mas detestava ver mulheres a fumar e, pior que isso, a irem de… biquini para a praia!

A 10 de Outubro de 1970 o Sporting organizou-lhe uma festa de despedida num evento magnífico que encheu por completo a bancada central do Estádio Alvalade. Joaquim Agostinho veio de propósito de Paris para participar e várias modalidades do clube fizeram desmonstrações.

O seu carisma e popularidade foram sempre altíssimos, e para homenagear uma carreira de ouro, receberia o Prémio Stromp para a melhor atleta sportinguista de todos os tempos, um epíteto tão discutível quanto inegável é o facto de ser uma das principais figuras da História do clube.

A sua presença nas 100 figuras ilustres convidadas para representarem o clube à data do centenário foi, por tudo o referido, absolutamente justa.

Morreu aos 65 anos, a 29 de Setembro de 2007, vítima de doença prolongada…

Post to Twitter

Comments (1)

 

  1. Ho conosciuto Lidia a Lisbona. Una figura splendida di donna; sensibile, bella e umile.

Deixe o seu comentário