1972 – A glória para Joaquim Agostinho e Ciclismo leonino

27 de Agosto de 1972, dia memorável para o Ciclismo do Sporting. Terminou a 35ª Volta a Portugal em bicicleta que deu a 3ª vitória consecutiva ao campeoníssimo Joaquim Agostinho (igualando a marca de Alves Barbosa) e o triunfo coletivo (10º) para os leões.

No contra-relógio final Agostinho afirmou mais uma vez a sua classe ímpar. Em Alvalade, houve um verdadeiro “mar” de loucura em redor do ciclista leonino, o “menino bonito” dos sportinguistas: “Naturalmente que estou muito satisfeito com mais este triunfo pois tudo fiz para chegar aqui a Alvalade com a minha camisola amarela. A princípio nem tudo correu bem, mas os outros também cá andavam e sabiam o que estavam a fazer. Eu nunca desanimei, esperando sempre pelas etapas mais ao meu jeito para jogar as minhas cartadas, e assim aconteceu. Esta foi uma das mais difíceis Voltas a Portugal em que participei, e já foi a 5ª. Um corredor pode ser muito bom, mesmo um grande campeão, mas se o trabalho da equipa não corresponder, sozinho nunca pode resolver todos os problemas. A minha equipa ajudou-me sempre e bem, e eu aproveitei muito o trabalho de todos. Devo-lhes esta homenagem porque ela corresponde à verdade”.

Manuel Graça, o técnico sportinguista, também estava felicíssimo: “Estou satisfeito com o comportamento dos rapazes porque obtivemos os objetivos que tinhamos em vista. A tarefa foi árdua e a certa altura cheguei a ter receio porque era tudo e todos contra nós, especialmente a equipa da Messias, uma formação capaz de criar problemas a qualquer outra seja ela qual fôr.

Agostinho venceu o último contra-relógio entre Sintra e Lisboa na distância de 25km com 1m17s de vantagem do benfiquista Fernando Mendes. Na classificação geral final, Agostinho deu quase 6 minutos ao 2º classificado – José Martins. Por equipas o Sporting ficou com 7m38s de vantagem da Coelima. Os outros leões foram Leonel Miranda (4º), Firmino Bernardino (6º), António Teixeira (19º), António Marçalo (23º), Vítor Rocha (26º), Francisco Miranda (31º), Emiliano Dionísio (36º), Manuel Luís (39º) e João Curto (43º). Joaquim Agostinho ganhou ainda o Combinado e as Metas Volantes. O magnífico ciclista leonino arrecadou 106.400$ na competição.

De realçar ainda que, 2 meses antes, o prodígio sportinguista sagrara-se penta-campeão nacional de estrada.

Após a Volta a Portugal os leões continuaram a brilhar pelas estradas nacionais nessa temporada de 1972. Agostinho venceu o 2º Grande Prémio de Sintra, Leonel Miranda e o Sporting foram os melhores no Circuito da Malveira, Joaquim Agostinho e o coletivo leonino triunfaram no Circuito de Torres Vedras e Emiliano Dionísio sagrou-se Campeão Regional de velocidade.

Post to Twitter

Deixe o seu comentário